Assine Já
segunda, 29 de novembro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Gonçalves Dias e Jorge Benjor dão o tom do “Pôr do Sol Histórico” no Peró

10 fevereiro 2020 - 19h49Por Redação
Gonçalves Dias e Jorge Benjor dão o tom do “Pôr do Sol Histórico” no Peró

O verão na praia do Peró, certificada para a temporada 2020 com o selo “Bandeira Azul”, vai ficar ainda mais intenso com mais uma edição do “Pôr do Sol Histórico”, na sexta-feira (14), a partir das 17h. A concentração será no mastro e a expectativa dos organizadores é que cerca de 100 pessoas participem do encontro, que é gratuito e aberto ao público de todas as idades.

Os historiadores Daniel Henriques e Luciana Rocha da Superintendência de Turismo Histórico apresentarão a história da Confederação dos Tamoios em Cabo Frio e a origem do nome do bairro Peró, atrelado a história indígena da região.

Na parte musical do evento, entrando no clima de Carnaval, o público poderá conferir as músicas de Jorge Ben Jor no formato voz e violão. Entre as canções mais conhecidas do artista estão, País Tropical, Taj Mahal, Jorge da Capadócia e W/Brasil.

“O evento é importante pois resgata diversos pontos interessantíssimos da história local unido a um grande tributo cultural homenageando sempre um poeta e cantor diferente ao pôr do sol”, comentou Daniel, que além de historiador é músico.

As poesias de Gonçalves Dias, escritor brasileiro do século XIX, serão declamadas nos intervalos entre as atrações. O poeta, que também era advogado, jornalista e teatrólogo, se destaca no estilo conhecido como indianismo, que traz referências à figura do indígena nativo, como herói nacional. Uma de suas poesias mais conhecidas, é “Canção do Exílio”, composta em 1843 durante a estadia do escritor em Coimbra, Portugal, e é fruto do momento nacionalista em que vivia o romantismo à época.

Para o secretário de Turismo Paulo Cotias o evento cumpre com uma agenda positiva de atividades culturais e históricas promovidas pela pasta desde o ano passado.

O projeto originalmente ocorria apenas uma vez ao mês, e somente no Morro da Guia. A partir de 2019, com o aumento do púbico e os pedidos para estender para outros locais, passamos a realizar mais um encontro, na segunda quinzena, revezando entre as praias do Siqueira, Peró e Pontal em Tamoios. Encerrando na última sexta-feira do mês, com local fixo, no Morro da Guia. A meta para 2020 é levar o projeto a outros locais, como o Canto do Forte”, comentou.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.