Assine Já
quinta, 01 de outubro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8438 Óbitos: 437
Confirmados Óbitos
Araruama 1675 103
Armação dos Búzios 500 10
Arraial do Cabo 256 15
Cabo Frio 2775 149
Iguaba Grande 699 37
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 69
Últimas notícias sobre a COVID-19
Férias

Golpe do ‘falso aluguel de temporada’ deixa autoridades policiais em alerta

Autoridades aconselham turistas a se precaver e evitar ansiedade das férias

08 dezembro 2015 - 09h56Por Rodrigo Branco

Imagine a situação: a pessoa se planeja e guarda dinheiro o ano todo para aproveitar o ve­rão em Cabo Frio e, ao chegar na cidade, descobre que o imó­vel alugado não existe ou está ocupado. Agora imagine o ou­tro lado: a pessoa está tranquila em casa e toma um susto quando tocam a campainha e um desco­nhecido avisa que foi fazer uma visita para ‘conhecer o local’, sem que ele jamais tenha sido colocado para alugar.

À medida que se aproxima a alta temporada, as situações descritas acima se tornam cada vez mais comuns, seja em clas­sificados de jornais ou mais re­centemente na internet, nos sites especializados em transações imobiliárias. Na semana passa­da, policiais da 26ª DP (Todos os Santos) prenderam, por estelio­nato, Marcos José da Silva Neto, acusado de aplicar o ‘golpe do aluguel de temporada’ na região.

Uma das vítimas de Marcos foi o técnico de suporte de TI, Artur Tollendal. Morador de uma das áreas nobres da cidade, a poucas quadras da Praia do Forte, Artur teve uma desagradável surpresa, no fim de semana retrasado, ao ver que a casa onde mora com a família ser anunciada em dois sites de abrangência nacional: a OLX e a Max Temporada. No anúncio, apesar do endereço ser o verdadeiro, as fotos postadas são de outro imóvel.

Desde então, ele já recebeu a visita de dois ‘pretendentes’ a um período de estadia na casa que jamais colocou para alu­guel. Artur, que ao tomar pé da situação registrou a ocorrência na delegacia, está receoso com a situação.

– É uma situação complicada e muito insegura. Imagina, na ‘boca’ do réveillon, encosta uma van aqui na frente de casa com 15 pessoas dizendo que alugou – teme o analista.

Segundo o delegado do Con­selho Regional dos Corretores de Imóveis do Rio (Creci–RJ), Jor­ge Murillo, o caso de Artur está longe de ser isolado. Apesar da ansiedade de muitos para garan­tir um pouso perto da praia nas tão sonhadas férias, ele aconse­lha cautela na hora de alugar um imóvel para que as férias não vi­rem um pesadelo.

– Eu mesmo já fiz muitas ma­térias alertando sobre isso. Um conselho que dou é verificar se o corretor está inscrito no Creci, o que dá para constatar facilmen­te. No mais, recomendo que as pessoas não fiquem afoitas para fechar o negócio – alerta.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta terça-feira (8)