Assine Já
terça, 07 de julho de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 311 Confirmados: 3077 Óbitos: 182
Suspeitos: 311 Confirmados: 3077 Óbitos: 182
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 265 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 1 479 16
Saquarema 16 493 30
Últimas notícias sobre a COVID-19
dois arcos

Gás Natural Renovável (GNR) produzido na Região dos Lagos é destaque na Europa

Usina Dois Arcos será apresentada na Regatec 2015, em Barcelona, na Espanha

07 maio 2015 - 10h28
Gás Natural Renovável (GNR) produzido na Região dos Lagos é destaque na Europa

A Usina Dois Arcos, da EcoMetano, que produz biogás purificado (biometano) a partir de resíduos sólidos urbanos de oito municípios da Região dos Lagos, é destaque da programação da II International Conference on Renewable Energy Gas Technology (Regatec) 2015. O evento será realizado nesta quinta e sexta (7 e 8), em Barcelona, na Espanha, reunindo especialistas e empreendedores na produção de biometano através de conversão microbiológica e termoquímica de biomassa e resíduos de todo o mundo. A apresentação do projeto será feita pelo gerente de Desenvolvimento de Negócios da EcoMetano, Marcio Schittini.

A usina, que integra a carteira do Programa Rio Capital da Energia e é pioneira no Brasil na produção e no aproveitamento de biogás de aterro, iniciou sua operação em agosto de 2014 no Aterro Dois Arcos, em São Pedro da Aldeia, de propriedade da Osafi. O investimento foi de R$ 20 milhões, incluindo a instalação do aterro sanitário. A estimativa de produção da usina é de cerca de 8 mil metros cúbicos de biometano/dia, chegando a 15 mil m³/dia em 2020. Atualmente, o aterro recebe aproximadamente 700 toneladas diárias de resíduos sólidos urbanos.

Em um primeiro momento, o biometano será fornecido em cilindros, como gás natural comprimido (GNC), para clientes industriais, cujos contratos ainda estão sendo negociados. Contudo, o projeto contempla, no futuro, a ligação da usina à rede de distribuição de CEG e CEG Rio, concessionárias de gás canalizado do Rio de Janeiro. Assim, o biogás purificado poderá chegar aos consumidores residenciais e comerciais, além de atender ao uso veicular, beneficiando uma população de 400 mil pessoas.

“O biogás é uma fonte de energia renovável, mais econômica, que gera mais benefícios ao meio ambiente e que pode incrementar a matriz energética nacional. Acreditamos que o Brasil será, em um futuro próximo, o maior produtor mundial de biogás”, diz Schittini.

Estímulo do governo do Estado

A Usina Dois Arcos foi beneficiada pela Política Estadual de Gás Natural Renovável, implementada pela Lei nº 6.361, de 19 de dezembro de 2012. O objetivo da legislação é fomentar a produção de gás a partir de resíduos urbanos, florestais, industriais e animais, tornando mandatória a aquisição desse biogás pelas distribuidoras de gás natural do estado.

Para Maria Paula Martins, coordenadora do Rio Capital da Energia, a lei é um importante estímulo para a implantação de projetos de aproveitamento de biogás. Seu maior êxito, contudo, é dar um sinal econômico positivo a soluções para o sério problema dos resíduos sólidos urbanos.

“O governo do estado do Rio de Janeiro criou uma política de incentivo para o gás natural renovável, estabelecendo que até 10% do combustível comercializado por CEG e CEG Rio sejam biogás, excluindo o consumo termelétrico. Acreditamos que o biometano é um importante estímulo para o aproveitamento econômico dos resíduos sólidos urbanos, um problema que aflige milhares de cidades brasileiras. O projeto da Usina Dois Arcos é pioneiro no país e é um caso de sucesso para que o aproveitamento do gás oriundo de aterros sanitários seja replicado em várias partes do país”, reforça Maria Paula.