Assine Já
quarta, 23 de setembro de 2020
Região dos Lagos
21ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7942 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1581 102
Armação dos Búzios 477 10
Arraial do Cabo 231 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 649 36
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1165 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
correios

Funcionários dos Correios se manifestam em Cabo Frio

Categoria anunciou paralisação de 100% do efetivo na cidade por falta de atendimento médico

06 julho 2016 - 10h44Por Redação I Foto: Alcineu Ribeiro

Os funcionários dos Correios cruzaram os braços  em frente à agência do Largo Santo Antônio, no Itajuru, em Cabo Frio, na manhã desta quarta-feira (6). Os manifestantes reivindicam o atendimento médico oferecido por convênios da empresa. Eles levaram cartazes e mostraram que todo o efetivo está paralisado. O movimento deverá se estender para São Pedro da Aldeia. 
– Nós estamos fazendo um movimento porque a empresa de Correios descumpriu um acordo. Por isso, deixou todos os trabalhadores aqui da região sem atendimento médico. E não é a primeira vez. Nós há um pouco mais de um ano fizemos a manifestação pelo mesmo motivo. Com isso, precisamos entrar na justiça e o correio teve que providenciar o atendimento. Estamos há mais de 15 dias sem atendimento. Tivemos um atendimento de emergência de um colega que teve uma fratura na perna. O hospital não negou socorro, mas não fez os procedimentos mais complexos. Tivemos que recorrer à transferência de urgência à outra unidade, porque não havia na região um hospital que tivesse convênio. Estamos mostrando nossa indignação porque nós queremos trabalhar. Mas não tem como trabalhar sabendo que não tem assistência médica – explicou o funcionário Paulo Maurício, em entrevista ao repórter Alcineu Ribeiro, no Programa do Amaury.  
Na mesma entrevista, Paulo lembrou dos riscos corridos durante a madrugada.
– Se um filho passar mal em casa, não tem onde recorrer. Nós trabalhamos em motocicletas. Se houver um acidente, tem que se deslocar daqui para Ararruama. Imagina isso num evento que aconteça à noite, de madrugada, como faremos para deslocar para 40 km daqui? Os Correios não está dando importância para os funcionários na região. Vamos continuar parados até que o atendimento volte ao normal – finaliza.