Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22503 Óbitos: 742
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2960 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6068 247
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Fundo Municipal de Patrimônio

Fórum propõe criação de Fundo Municipal de Patrimônio

​Proposta precisa ser enviada pelo Poder Executivo à Câmara Municipal

26 maio 2017 - 11h16Por Redação I Foto: Divulgação
Fórum propõe criação de Fundo Municipal de Patrimônio

Em continuidade ao fórum do projeto Cidade Viva sobre turismo histórico, um debate realizado esta semana na Universidade Estácio de Sá terminou com mais uma proposta para a área: a criação do fundo municipal de patrimônio. Com a medida, empresas poderiam contribuir com doações para a revitalização de pontos históricos do município – como contrapartida, ganhariam visibilidade em mídia e placas instaladas nos locais. Para ser tirado do papel, o projeto precisa ser encaminhado à Câmara pelo prefeito Marquinho Mendes (PMDB).

– Pensamos em soluções para que entidades privadas possam apadrinhar, sem exploração comercial, um patrimônio histórico. Estávamos com uma dúvida: como seriam feitas as transferências de recursos? A partir disso, sugerimos a criação do fundo municipal de patrimônio, que seria controlado pelo conselho de patrimônio, atualmente em fase de reativação – explica Paulo Cotias, coordenador do curso de História da Estácio de Sá.

Para Cotias, que esteve à frente desta rodada de debates do Cidade Viva, é preciso garantir que acesso os espaços sejam democratizados para a população. Isso, segundo ele, seria viabilizado através da parceria público-privada firmada através do fundo.

– Se os espaços forem simplesmente entregues para a iniciativa privada cobrar ingressos, eles deixam de ser públicos. A ideia não é essa. Com a doação através do fundo de patrimônio, o empresário contribui para o desenvolvimento da cidade. Ele se torna “amigo no monumento”, o que inclusive pode estar registrado em placas instaladas nos locais.

O vereador Rafael Peçanha (PDT), que esteve presente nos dois debates sobre o tema, classificou a proposta como “fundamental”.

– É prerrogativa do poder Executivo não só enviar o projeto para a Câmara, indicando todas as regras de funcionamento do fundo. Estamos preparados para liderar as conversas a favor dessa proposta, que surgiu no âmbito do projeto Cidade Viva – disse o vereador.

Qualificação – Guardas municipais e marítimos vão receber gratuitamente uma qualificação sobre história e patrimônio cultural de Cabo Frio, com foco no atendimento ao turista e ao morador. O curso, concedido pela Estácio de Sá, é mais um projeto que surgiu no Cidade Viva.

De acordo com Paulo Cotias, outros cursos serão oferecidos para profissionais que trabalhem com passeios de barco, taxistas e locatários de transporte receptivo.

– Sugerimos três rotas cujos pontos serão identificados pelo grupo de pesquisa da Estácio: roteiro terrestre, que vai ser feito a pé; roteiro para carro, de transporte receptivo; e outro para ser feito pelos passeios de barco.
Interessados em participar podem entrar em contato através do e-mail [email protected]
* O projeto Cidade Viva tem o apoio da Associação Comercial e patrocínio da Prolagos e Restaurante Comilão.