Assine Já
sábado, 15 de maio de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
16ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 38271 Óbitos: 1463
Confirmados Óbitos
Araruama 9632 300
Armação dos Búzios 4705 57
Arraial do Cabo 1332 69
Cabo Frio 10222 542
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Fórum de Segurança Pública da Região dos Lagos reúne autoridades do setor em Cabo Frio

Evento é realizado pela Associação Comercial, Industrial e Turística (Acia)

24 maio 2019 - 12h30
Fórum de Segurança Pública da Região dos Lagos reúne autoridades do setor em Cabo Frio

Foi realizado nesta sexta (24) o I Fórum de Segurança Pública da Região dos Lagos. Diversas autoridades municipais, estaduais e federais se reuniram no Hotel Paradiso Corporate, no Braga, para discutir o tema. O evento foi organizado pela Associação Comercial, Industrial e Turística (Acia) de Cabo Frio.

– Pedimos atenção urgente não só para Cabo Frio e Tamoios, mas para para toda Região dos Lagos. Temos feito uma atuação intensa com sete grupos de segurança. A polícia sempre está de prontidão para ajudar, mesmo com todos os problemas. Agora, cada um de nós precisa pensar em melhorias – afirmou Patricia Cardinot, presidente da Acia.

O prefeito de Cabo Frio, Adriano Moreno, destacou as ações recentes realizadas pelo município. Entre elas, o estudo de um projeto de monitoramento, com 18 totens espalhados pela cidade.

– Pedimos um estudo de monitoramento de câmera, com visão de 360 graus, em 18 totens da cidade, para fazer reconhecimento de face. Vamos fazer isso em parceria com a Polícia Militar, que já nos informou onde são os grandes bolsões de violência – afirmou Adriano. 

– Temos procurado levar as crianças para praticar esporte no contraturno. Esporte também é inclusão social. E tira a criança da ociosidade. Precisamos, além de tudo, de gerar emprego. Através do nosso aeroporto, vamos criar nosso condomínio logístico. Vamos desapropriar uma área imensa, em parceria com o governo do estado, e criar o condomínio logístico –continuou o prefeito. 

Um relatório sobre os pontos discutidos no fórum será levado ao governador Wilson Witzel, disse o secretário estadual de Turismo, Otávio Leite.
– Precisamos fazer uma discussão aberta e transparente sobre os rumos da segurança. Todos sabemos das dificuldades do Rio de Janeiro, mas é preciso olhar para frente.

É a hora de união de esforços entre municípios e governo do estado, pontuou o líder da bancada do PSL na Assembleia Legislativa (Alerj), o deputado Serginho Azevedo.

– De uma maneira imediata, sabemos que é a polícia que resolve o problema de segurança pública, mas, em médio e longo prazo, sabemos que é necessário que a cidade dê condições mínimas de trabalho e de vida para os nossos adolescentes e adultos, além de acesso à cultura, educação e lazer.

O assessor especial de Witzel, Roberto Motta, especialista em segurança pública, sublinhou os números que apontam a gravidade do problema de segurança no país. 

– Estamos entrando para 60 mil homicídios por ano. Esse é o mundo antigo, onde imperava a impunidade, onde a culpa do crime nunca é do criminoso, mas da educação, da iluminação.

Já o procurador Marcelo Rocha Monteiro fez palestra sobre os mitos envolvendo a segurança pública. 
– De cada 100 assassinatos, descobrem-se oito criminosos. São presos os 8? Não, são apenas descobertos. E aí o especialista de segurança pública diz na televisão que se prende muito no Brasil – criticou.

Reportagem da Folha publicada ontem, com base nos números do Instituto de Segurança Pública (ISP),  revelou que em Cabo Frio o percentual de mortes violentas cresceu cerca de 30% nos últimos oito anos. Na Região dos Lagos, esse número sobe para alarmantes 67%. Por mortes violentas entenda-se o que as autoridades de segurança apontam como letalidade violenta, que é o somatório das quantidades de homicídios dolosos (com intenção de matar); latrocínios (roubos seguidos de morte); lesões corporais seguidas de morte e intervenções policiais que resultem em morte.