Assine Já
sexta, 18 de setembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7654 Óbitos: 398
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2467 130
Iguaba Grande 627 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 61
Últimas notícias sobre a COVID-19
turismo

Fora da alta temporada, julho traz o turismo da tranquilidade

​Visitantes exaltam belezas naturais e aproveitam passeios em família

13 julho 2017 - 11h47Por Texto e foto: Gabriel Tinoco
Fora da alta temporada, julho traz o turismo da tranquilidade

Os turistas aproveitam para visitar Cabo Frio nas férias de julho e não ter que encarar o tumulto da alta temporada. Os visitantes comemoram a tranquilidade para os programas em família e a Praia do Forte com bem menos banhistas do que no verão. O dia ensolarado estava perfeito para o chefe de segurança Maicon Menezes, 33, que mora em Rio das Ostras, passear com a família.

– Cabo Frio é o paraíso. Vim aproveitar esse sol maravilhoso. É a melhor época para aproveitar e curtir a família. Não tem aquele tumulto com muitos turistas. A praia, em julho, fica sempre limpa. Sem contar que podemos trazer as crianças para passear – comenta.

A estudante Isabelle Miranda, 21, que reside em Juiz de Fora (MG), estava lendo ‘Como Eu Era Antes de Você’ ao som do vento na praia.

– Aqui é sempre bom, muito tranquilo. A praia é muito agradável, principalmente nessa época do ano que a cidade não está cheia. Não estaria lendo nas outras férias. Nesse momento, não estaria nem na praia. No verão, tem muita gente e é muito quente.

Para alguns, a primeira impressão de Cabo Frio foi melhor que a atual. É o caso do analista Glauco Braga, 31, vindo de Brasília.

– Vim pelas férias. Já conhecia há um bom tempo. E concluo que a cidade está abandonada, com as ruas esburacadas. Pelo que ouvi, é recorrente da crise e da gestão anterior. Mas, mesmo assim, gosto muito daqui. Vim aqui pela primeira vez no inverno. É bom porque é mais vazio. Mas se o sol for embora, tem que correr junto – brinca.

Enquanto os turistas começam a se instalar na cidade, os barraqueiros e ambulantes têm esperanças nas férias de julho para impulsionar o movimento.

– O movimento está mais ou menos. Mas certamente as férias de julho deverão melhorar. É a primeira vez que trabalho nesse período. Vamos ver. Tomara – comenta a vendedora de açaí Alessandra Alves, 31.

Quem também mantém as esperanças é a dona de barraca Cláudia Regina, 60, que pede contribuição do poder público.

– O movimento, por enquanto, está horrível. Mas nas férias costuma melhorar. A Postura também deve tomar providências. Os carrinhos colocam mais guarda sol do que os próprios barraqueiros – reclama.