Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Fim de mandato apresenta cidade com muitos problemas

Fim melancólico de governo de Alair fica marcado por sujeira, buracos e panes nos sinais

07 outubro 2016 - 01h53
Fim de mandato apresenta cidade com muitos problemas

 Seja o novo prefeito de Cabo Frio Marquinho Men­des (PMDB), Adriano Moreno (Rede) ou qualquer outro nome escolhido em uma eventual nova eleição, ele terá que arregaçar as mangas e juntar os cacos de uma cidade em profunda crise econô­mica e administrativa.

Faltando poucos meses para o fim do mandato de Alair Corrêa (PP), os problemas se avolumam e vão desde a falta de pagamento do funcionalismo – o atraso, em média, é de três meses – passan­do pela precariedade dos serviços públicos mais básicos como lim­peza urbana. Na Saúde, o Hospi­tal Central de Emergência vem funcionando no limite e na rede de ensino, várias escolas estão fe­chadas (leia na matéria abaixo).

Há pouco mais de uma se­mana, um problema prosaico: o trânsito da cidade ficou mais confuso por causa de uma série de panes em semáforos, tudo por falta de manutenção, causada pelos três meses sem pagamento à firma responsável pelo serviço.

O secretário municipal de Serviços Públicos, Jaílton Dias Nogueira Junior, disse que já es­tão sendo feito reparos em sinais que estão defeituosos na Ave­nida América Central, em São Cristóvão, na Praia do Siqueira e no Parque Burle. O secretário admite as dificuldades.

– Está bastante grave (a situ­ação). Você não tem a noção de quanto. Desde a mão-de-obra até o ferramental, passando pela estrutura. Estamos fazendo das tripas coração. Arrumando aqui e ali. Para esse serviço (conser­to dos sinais) juntamos dinheiro uns três meses para pagar o que estávamos devendo – relata.

O presidente do Sindicato dos Profissionais da Saúde, Gelci­mar Almeida, discorda que o co­lapso nos serviços tenha origem apenas na falta de recursos.

– O caos se dá pela má gestão do dinheiro arrecadado. No caso da Saúde, não há só a arrecada­ção municipal, tem também os recursos federais. O prefeito é um péssimo gestor, fez obras sem ne­cessidade. E falta transparência é algo fora do comum – afirma.

Sobre os atrasos salariais, a Prefeitura de Cabo Frio infor­mou que não há previsão para pagamento dos servidores.

O texto diz ainda que ‘a Pre­feitura está empenhada para re­solução dos impedimentos do pagamento salarial e preza pelo bem estar do servidor’.