Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Festa

Festa de São Jorge pode virar Patrimônio Imaterial de Cabo Frio

Projeto de Lei do vereador Vinícius Corrêa está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

19 abril 2017 - 07h50Por Texto e foto: Fernanda Carriço
Festa de São Jorge pode virar Patrimônio Imaterial de Cabo Frio

Realizada há mais de 70 anos, a Festa de São Jorge pode virar Pa­trimônio Imaterial de Cabo Frio. Isso porque desde abril de 2016 tramita um pro­jeto na Câmara Municipal para tombar a tradição. Enviado para a Comissão de Constituição e Justiça, o projeto de lei n°08/2016 do vereador Vinícius Corrêa (PP), precisa de um parecer final.

– Vou conversar com o presi­dente da comissão hoje (ontem) para emitir o parecer. É uma reinvindicação dos fiéis – infor­mou Vinícius, que também é de­voto de São Jorge.

Festividades começam na sexta-feira

Neste ano serão três dias de festividades, que começam na próxima sexta-feira, dia 21, a partir das 17h, e terminam no domingo, 23. A programação é concentrada na Igreja de São Jorge, na Rua Francisco Mendes, no Cen­tro, e conta com a tradicional feijo­ada, procissão e muitas atrações.

Passada de geração a geração, tão antiga quanto a construção da Igreja, datada de 11 de novem­bro de 1945, a festa é o momento mais importante para os devotos, pois reverencia o santo padroeiro.

Há três anos e meio à frente da Igreja, Dom Joanir da Silva Neves está otimista com o even­to. Afinal, ele é fundamental pois arrecada verbas para a con­clusão das obras do prédio, que começaram em 2015.

– Concluímos cerca de 70% da obra, o que equivale a mais ou menos R$170 mil. Toda a parte elétrica e hidráulica, por exemplo, foram trocadas. Re­formamos todo o presbitério (altar), mas ainda precisamos de bastante coisa. O piso todo pre­cisa ser trocado, é a parte mais cara, cerca de R$90 mil, sem a mão de obra. Todo o dinheiro é arrecadado com os devotos de São Jorge – detalha Dom Joanir.

Devoto do Santo Guerreiro desde que nasceu, já que o pai dele também era, Dom Joanir relata as dificuldades em manter a estrutura. Mas em momento algum desanima, pois busca nos princípios do santo a perseve­rança para terminar a obra.

– O que mais admiro em São Jorge é a coragem, a devoção e o amor a Jesus. Foi por esses motivos que ele foi decapitado. É isso que nos move a terminar esta obra e deixar a igreja em perfeitas condições para home­nageá-lo – afirma.

Para este ano são esperadas mais de cinco mil pessoas nos três dias de evento.


Programação:

Sexta-feira (21) – 17h À 01h

-Celebração de abertura

- DJ e Shows ao Vivo

- Barraca de comidas

-Feira de artesanatos

-Recreação com brinquedos infantis

Sábado (22) – 13h às 23h

- Celebração e oração à São Jorge

- Tradicional Feijoada e Bingo

- DJ e Shows ao vivo

- Barraca de comidas

-Feira de artesanatos

-Recreação com brinquedos infantis

Domingo (23) – 5h às 22h – Abertura da Igreja 4h30

Grande encontro religioso aos toques dos clarins

5h- Missa pela Paz

7h- Missa pelos Desempregados

9h – Missa pela Saúde

11h – Missa pela Família

13h – Missa dos Dizimistas

15h – Missa aos colaboradores

17h – Missa contra a Intolerância Religiosa

18h – Procissão de São Jorge e Nossa Senhora de Nazaré

20h – Missa Campal em Ação de Graças pelo dia de São Jorge