Assine Já
terça, 24 de novembro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11377 Óbitos: 530
Confirmados Óbitos
Araruama 2262 116
Armação dos Búzios 1000 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3609 179
Iguaba Grande 1034 39
São Pedro da Aldeia 1693 75
Saquarema 1415 89
Últimas notícias sobre a COVID-19
Secretário

Felipe Peixoto diz que Estado não reassumirá UPA

Secretário estadual de Saúde disse que apenas Nova Friburgo oficializou pedido de devolução

09 novembro 2015 - 14h32

Em meio à crise econômica no Estado do Rio, cresceram nos últimos meses os rumores de que diversos municípios, Cabo Frio entre eles, pretendem devolver a gestão das Unidades de Pronto Atendimento para o governo estadual. Mas o secretário estadual de Saúde, Felipe Peixoto, afirmou que isso não acontecerá. Em entrevista ao jornal ‘O Dia’ publicada ontem, Peixoto disse que reassumir as unidades não está nos planos e que a administração das UPAs ‘cabe aos municípios’. O secretário comentou ainda que, até o momento, apenas Nova Friburgo oficializou pedido de devolução junto ao estado, sob alegação de que atende a demanda das cidades vizinhas. – A gente entende que a gestão das UPAs cabe aos municípios. Compreendo o período de dificuldades que os prefeitos estão vivendo, mas o estado não pretende receber nenhuma UPA – garantiu Peixoto. Embora, durante a entrevista,  Peixoto não tenha confirmado a dívida no repasse aos municípios, tampouco o seu valor, em nota, a secretaria estadual de Saúde ratificou a informação passada pelo secretário de Cabo Frio, Carlos Ernesto Dornellas, de que o débito do estado chega a oito meses. – A Secretaria de Estado de Saúde informa que vem atuando junto à Secretaria de Estado de Fazenda no sentido de regularizar os repasses ao município de Cabo Frio. Vale ressaltar que a UPA de Cabo Frio foi construída e equipada pelo Estado, e entregue à prefeitura, que tem a responsabilidade de gestão, com recursos municipais, estaduais e federais. Cabe ao Estado repassar 25% do total, o que equivale a R$ 250 mil. No entanto, ao longo dos últimos anos, o Estado repassou R$ 400 mil mensais por UPA 24h, porque entende a necessidade de dar apoio aos municípios – diz o texto da secretaria. Apesar disso, Carlos Ernesto afirmou em entrevista recente à Folha que, antes de tentar devolver as UPAs do Parque Burle e de Tamoios, pretende esgotar o diálogo com o governo estadual para receber o montante devido. O secretário confirmou que o município não tem condições de manter as duas unidades. – Estamos conversando para ver se chegamos a um acordo para os repasses. O objetivo é não prejudicar a população. A dívida está muito alta e estamos renegociando. A intenção é que eles paguem ou assumam as unidades. Os custos de manutenção são elevados. Fazemos 500 atendimentos por dia – argumenta Carlos Ernesto.