sexta, 24 de maio de 2024
sexta, 24 de maio de 2024
Cabo Frio
26°C
Park lagos
Park Lagos 2
LUIS LINDENBERG

Fechamento de escola municipal no Guarani preocupa educadores

Prefeitura tem plano de encerrar atividades em 2020, mas promete retorno

27 novembro 2019 - 20h01Por Tomás Baggio

O plano da Prefeitura de Cabo Frio de fechar temporariamente a Escola Municipal Luis Lindenbergh, no bairro Guarani, está preocupando a comunidade escolar. Representantes do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe) temem que as atividades sejam encerradas definitivamente, e não retomadas em 2021, conforme a promessa do governo municipal.

– Somos contrários a isso. O Lindenbergh passou por um sucateamento, como todos sabem, que terminou com um incêndio que tornou inviável qualquer prática educacional naquele prédio, que inclusive já foi demolido. Existe desde 2017 o plano para a construção de um novo prédio. O projeto já foi inclusive apresentado à comunidade escolar, que aprovou esse projeto, e enquanto isso a escola foi deslocada para outro bairro. Nos causa estranheza que, mesmo com o projeto apresentado e previsão orçamentária para a obra, agora queiram encerrar as atividades prometendo voltar depois. Isso pode ser o fim definitivo da escola, porque os alunos e funcionários teriam que ser matriculados em outras unidades de ensino. Quem garante que o Guarani terá sua escola de volta, que é a única que atende os bairros do entorno? – questiona a coordenadora geral do Sepe Lagos, Cíntia Machado.

A intenção da Prefeitura de suspender as atividades da escola foi manifestada em uma reunião na semana passada, na Secretaria de Educação, com membros da secretaria e da escola.

A conselheira municipal de Educação Denise Teixeira também é contrária à medida.

– A escola já foi prejudicada quando teve que sair de seu prédio próprio. Acaba perdendo a identidade. Agora temos a previsão de licitação para a construção de um novo prédio. Não faz sentido suspender a escola se existe a previsão de obra para que ela volte ao seu local de origem – opinou.

Fechamento também na escola para alunos com deficiência

Outra medida polêmica anunciada pela Secretaria de Educação, esta noticiada ontem, foi a decisão de fechamento do Ensino Médio no terceiro turno da Escola Municipal Arlete Rosa Castanho, que atende alunos com deficiência auditiva, em 2020.
Em comunicado, a Prefeitura disse que “a desativação é por conta do baixo número de alunos”. 

“Há apenas uma turma, na qual cinco estudantes frequentam. Desses, somente dois são moradores de Cabo Frio. A unidade foi notificada por meio de memorando. A escola auxiliará os alunos na inscrição para a pré-matrícula na rede estadual, por meio do site http://www.matriculafacil.rj.gov.br/ até o dia 04 de dezembro. A unidade atende alunos com deficiência em diversos níveis, inclusive em casos de surdez associada a outras deficiências, além de atender alunos inseridos no ensino regular, através de salas de recursos, utilizadas para atendimentos em contraturnos”, diz a nota.

– Não importa se são dois ou vinte alunos. É uma economia que, no futuro, é negativa para a cidade, pois vai excluir do mercado de trabalho esses jovens esses que têm direito à educação. Nesta unidade, os profissionais são preparados para atendê-los, são fluentes em libras. É a única escola da região com essa característica. E sabemos que a rede estadual não oferece essas condições – disse ainda Cíntia Machado.