Assine Já
sábado, 08 de maio de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
20ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 37344 Óbitos: 1418
Confirmados Óbitos
Araruama 9540 293
Armação dos Búzios 4603 57
Arraial do Cabo 1313 69
Cabo Frio 9865 521
Iguaba Grande 3733 92
São Pedro da Aldeia 5088 214
Saquarema 3202 172
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Farmácias de Cabo Frio registram aumento nas vendas de repelentes e similares

Em média, procura cresceu 20%, mas estoques estão em baixa

15 dezembro 2015 - 09h47Por Nicia Carvalho

A preocupação com o mos­quito Aedes Aegypti, apontado como transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus, tem aumentado a procu­ra por repelentes e produtos si­milares em Cabo Frio e região. Farmácias registram, em média, crescimento de 20% nas vendas. No entanto, com tanta deman­da, os estoques estão em baixa. Principalmente para o Exposis, que seria específico para o mos­quito. O preço varia de R$ 35 a R$ 39, enquanto outras marcas como o Off custam de R$ 11,70 a R$ 20.

– A procura foi muiito gran­de. Aqui cresceu cerca de 10% e ainda liga gente de Rio Bonito, Arraial, querendo os repelentes, especialmente o Exposis – con­tou Maria da Guia, balconista da Drogaria Alexandre, no Centro. O mesmo se repete em farmá­cias de São Cristóvão e na Ave­nida Teixeira e Souza.

A auxiliar de serviços gerais, Viviane Veríssimo, que tem um bebê de uma ano e três meses, afirma que não fica sem repelen­tes e inseticidas.

– Não tem como ficar sem proteção uso na Alice o dia todo e reaplico de tempos em tempos para reforçar – contou.

A agente administrativo, Te­reza Souza Melo, afirma que os cuidados são redobrados.

– MInha irmã está grávida e não ficamos sem repelente. Fa­zemos até caseiro – contou.