Assine Já
sábado, 11 de julho de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 344 Confirmados: 3386 Óbitos: 195
Suspeitos: 344 Confirmados: 3386 Óbitos: 195
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 272 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1035 63
Iguaba Grande 12 241 20
São Pedro da Aldeia 10 530 19
Saquarema 32 566 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Farmácias de Cabo Frio registram aumento nas vendas de repelentes e similares

Em média, procura cresceu 20%, mas estoques estão em baixa

15 dezembro 2015 - 09h47Por Nicia Carvalho

A preocupação com o mos­quito Aedes Aegypti, apontado como transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus, tem aumentado a procu­ra por repelentes e produtos si­milares em Cabo Frio e região. Farmácias registram, em média, crescimento de 20% nas vendas. No entanto, com tanta deman­da, os estoques estão em baixa. Principalmente para o Exposis, que seria específico para o mos­quito. O preço varia de R$ 35 a R$ 39, enquanto outras marcas como o Off custam de R$ 11,70 a R$ 20.

– A procura foi muiito gran­de. Aqui cresceu cerca de 10% e ainda liga gente de Rio Bonito, Arraial, querendo os repelentes, especialmente o Exposis – con­tou Maria da Guia, balconista da Drogaria Alexandre, no Centro. O mesmo se repete em farmá­cias de São Cristóvão e na Ave­nida Teixeira e Souza.

A auxiliar de serviços gerais, Viviane Veríssimo, que tem um bebê de uma ano e três meses, afirma que não fica sem repelen­tes e inseticidas.

– Não tem como ficar sem proteção uso na Alice o dia todo e reaplico de tempos em tempos para reforçar – contou.

A agente administrativo, Te­reza Souza Melo, afirma que os cuidados são redobrados.

– MInha irmã está grávida e não ficamos sem repelente. Fa­zemos até caseiro – contou.