Assine Já
quarta, 01 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53693 Óbitos: 2188
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6584 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15591 902
Iguaba Grande 5572 147
São Pedro da Aldeia 7051 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
CRAQUE PEDE SOCORRO

Família faz vaquinha para ajudar ex-jogador Catita

Ex-atleta de grandes clubes cariocas hoje mora em Arraial, onde se recupera de seu nono AVC

11 fevereiro 2021 - 17h13Por Julian Viana

Adilson Geraldo Baptista é o nome de batismo, mas no mundo da bola, ele atende como Catita. Em 78 anos de vida, o ex-jogador passou por grandes times do futebol brasileiro, como Vasco, Bangu e Botafogo. Catita também se tornou uma lenda do futebol internacional, após atuar no Fútbol Club Motagua, um clube de Honduras, na América Central, onde jogou a partir de 1967. Durante a carreira, Catita teve o privilégio de conhecer ícones como o Pelé e o Carlos Alberto Torres. Mas agora o adversário é mais duro. Atualmente morando em Arraial do Cabo, o ex-atleta se recupera do nono acidente vascular cerebral (AVC), e seus familiares promovem uma vaquinha com o intuito de ajudar nos custos do tratamento do antigo meio-campista. 

Como Catita está impossibilitado de falar por conta da recuperação, a Folha conversou com familiares do ex-atleta, que relataram a necessidade de uma ajuda de custo. Para isso, a vaquinha é considerada essencial. Por conta da pandemia da Covid-19, os parentes foram orientados a realizar os exames necessários em unidades particulares. Hemograma completo, tomografia e eletrocardiograma, entre outros, já foram feitos. Em um deles, uma infecção foi constatada, e o atleta precisou de cuidados especiais. 

Filho do antigo boleiro, Adson Rivera conta que dedica todo o tempo para cuidar do pai e auxiliar na recuperação dele. 

– Estou 100% do meu tempo cuidando do meu pai por conta do último AVC que ele teve, no dia 15 de janeiro. Ele ainda está se recuperando. Está voltando a comer, voltando a falar aos poucos e voltando a andar com a minha ajuda. Ele está em processo de recuperação – conta Adson. 

Segundo os familiares, a rotina acaba sendo cansativa pela falta de recursos. O banho, por exemplo, é feito na cama. Por ficar muito tempo deitado, por vezes, Catita chega a desenvolver escaras, que são  feridas da pele comuns em pessoas acamadas. 

Atualmente, a família vive de aluguel em uma casa considerada inadequada para a recuperação do ex-atleta.  Os familiares também pedem a ajuda porque têm o objetivo de se mudarem para uma casa própria, mais confortável, que já começou a ser construída e está com a obra inacabada. 

– Meu pai é natural do Rio de Janeiro, mas a gente mora aqui [Arraial do Cabo] há cinco anos. Em 2003, a minha mãe esteve na região e comprou um terreno em Arraial para construir uma casa quando o meu pai se aposentasse. Infelizmente, ela acabou morrendo e nos mudamos para cá com o intuito de terminar a obra – conta uma da filhas do Catita, Vanessa Rivera. 

Além de concluir a obra da nova casa, os familiares do antigo craque também esperam  ajuda financeira para a compra de uma cama hospitalar e de uma cadeira de banho. 

– Neste momento, as dificuldades são muitas para cuidar dele, sem que ele sofra. As escaras doem e a cama onde ele se encontra não é a adequada. Ele reclama de dores. Acreditamos que temos que ter mais cuidados especiais com ele neste momento – desabafa Vanessa.  

Os interessados em ajudar poderão participar da vaquinha que se encontra no site www.vakinha.com.br. O ID é o 1760158. A meta é arrecadar um valor de R$ 5 mil.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.