Assine Já
segunda, 19 de outubro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9111 Óbitos: 463
Confirmados Óbitos
Araruama 1843 108
Armação dos Búzios 570 10
Arraial do Cabo 273 15
Cabo Frio 2965 162
Iguaba Grande 802 38
São Pedro da Aldeia 1420 60
Saquarema 1238 70
Últimas notícias sobre a COVID-19
pesquisa

 Márcio Werneck expõe no Charitas

Pesquisa sobre historiador homenageia a região 

13 agosto 2014 - 13h15Por Nicia Carvalho
 Márcio Werneck expõe no Charitas

Uma homenagem à história da Região dos Lagos e à dedicação de um profissional. Assim pode ser definida a exposição “Vida e obra de Márcio Werneck”, sobre o escritor e historiador. A mostra, que acontece no Charitas – Museu e Casa de Cultura José de Dome, na Sala Vitorino Carriço, do dia 15 de agosto até o dia 15 de setembro, é resultado da primeira de uma série de ações para dar acesso público a mais de trinta anos de estudos e trabalhos dedicados à região, principalmente Cabo Frio e Armação dos Búzios.

Completa o rol de atividades em homenagem ao historiador a criação da Sala Márcio Werneck, com acervo de mais de 10.200 itens, o lançamento de um documentário sobre o escritor e a publicação de quatro livros, sendo um inédito.    

– O objetivo da exposição é para as pessoas conhecerem a história dele, principalmente antes de chegar à cidade. Falar sobre o legado e a importância de toda a pesquisa não só para Cabo Frio e Búzios, mas para toda a região – explicou a jornalista Maria Werneck, idealizadora do projeto e filha do historiador.

A exposição vai estar aberta ao público de segunda a sexta-feira, das 14h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, até as 20h. A mostra, que faz parte da programação da Semana Fluminense do Patrimônio, conta a história do escritor desde as origens na cidade do Rio de Janeiro, passando por Paty dos Alferes, Paraíba do Sul e Belém do Pará, abarcando toda a cronologia do historiador (1944–2004). A exposição oferece ainda roteiro sobre a vida escolar, a paixão pela fotografia e comunicação, além da rica produção de pesquisas diversas, desde que fixou residência em Cabo Frio. Passa, também, pelo processo de produção dos livros e prêmios conquistados.

– É um sonho acalentado durante cinco anos. Relutei em voltar para minha cidade, mas o fiz com esse objetivo: dar visibilidade e acesso a história da região que meu pai pesquisou e que, na verdade, é de todo mundo. Não tem sentido ficar só na família – contou Werneck.

Segundo a idealizadora, o público que for conferir a exposição vai encontrar rico material ilustrativo, principalmente no que se refere as fotos. Muitas delas, inclusive, inéditas. Haverá também, cartazes e reportagens sobre o historiador e sua pesquisa. O diferencial da mostra será um mini-escritório montado na exposição, cujo objetivo é “transpor” o visitante ao local de trabalho do pesquisador, que ficava localizado na casa em que residiu à Rua Francisco Paranhos, na Vila Nova, em Cabo Frio.

As demais ações sobre Werneck estão programadas para a partir do segundo semestre deste ano até o primeiro de 2016, passando pelas comemorações dos 400 anos de Cabo Frio.

Acervo físico e virtual ao alcance das mãos

De acordo com Werneck, a grande estrela de toda a programação em homenagem ao historiador é a criação de uma sala no IFF, localizado entre as cidades de Cabo Frio e Búzios, para acesso do público ao material produzido ao longo das três décadas de pesquisas. O espaço, que leva o nome do escritor, também vai abrigar todo os itens da exposição.  A previsão é de que o acervo seja entregue ao IFF no mês que vem. Antes, porém, o acervo vai passar por higienização, catalogação e digitalização/revelação.

– A ideia é criar um memorial com tudo o que ele produziu e deixar disponível. Até na internet – antecipou.

Mas não para por aí. A família quer universalizar o alcance da pesquisa de Márcio Werneck. Todo o material do escritor será digitalizado e colocado num portal na internet. A expectativa é de que grande parte da coleção já esteja disponível, tanto na versão física quanto na virtual, até novembro do ano que vem, quando a cidade celebra 400 anos.  

– Só o espaço físico limita as pessoas. E o virtual pode ajudar na pesquisa de indivíduos em qualquer lugar – ponderou.

Completam as ações a produção de um documentário sobre o historiador, que está em fase inicial de elaboração. A expectativa é de que a película comece a ser gravada ainda este ano para ser lançado em 2015. À frente das filmagens está o cineasta cabo-friense Milton Alencar Jr.

Também para o ano que vem está previsto a publicação de uma nova edição de cada um dos três livros do historiador: ‘Viagem à terra do Pau Brasil’; outro sobre a face turística de Búzios e o terceiro, e mais importante, sobre Américo Vespúcio. Segundo a teoria de Werneck, em sua quarta viagem, Américo esteve em Cabo Frio e fez benfeitoria na cidade.