Assine Já
domingo, 19 de setembro de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 50688 Óbitos: 2057
Confirmados Óbitos
Araruama 12158 430
Armação dos Búzios 6182 64
Arraial do Cabo 1680 90
Cabo Frio 14015 822
Iguaba Grande 5355 134
São Pedro da Aldeia 6830 284
Saquarema 4468 233
Últimas notícias sobre a COVID-19
Estudo indica que policiais se tornam alvos

Estudo indica que policiais se tornam alvos

Levantamento aponta que agentes em folga têm mais chances de morrer em assaltos

17 fevereiro 2016 - 10h32
Estudo indica que policiais se tornam alvos

A violência não tem escolhido vítimas na sociedade, mas portar uma arma ou identificação da polícia nos últimos anos tem sido praticamente como receber uma sentença de morte. O fato é avalizado pelo resultado do último estudo do Instituto de Segurança Pública (ISP), que indica que policiais civis e militares de folga no Rio tem 56 vez mais chances de morrer em assaltos do que pessoas de outras profissões.
Em todo estado, entre os meses de janeiro e novembro do ano passado, período que o relatório compreende, 121 policiais sofreram latrocínio (roubo seguido de morte). Para chegar a esse resultado foram levados em conta a quantidade de casos, o contingente policial (58 mil homens), a população do estado (16,5 milhões de pessoas).

A Região dos Lagos e, em especial, Cabo Frio ajudou a engrossar as estatísticas da secretaria estadual de Segurança Pública. Ainda é recente, por exemplo, o caso do terceiro sargento da PM, Ronaldo Ferreira do Nascimento, conhecido como ‘Máquina’, baleado em outubro no Jardim Esperança, depois de tentar impedir um assalto momentos após ter largado o serviço. Para o comandante do 25º BPM, tenente-coronel André Henrique de Oliveira Silva, o perigo não é menor para o policial sem a farda.

– A opção de andar armado é de foro íntimo. Eu particularmente opto por andar armado. O que se recomenda é que estando armado, o policial deve estar sempre atento, frequente lugares compatíveis e evite o fator surpresa – recomendou.

*Leia matéria completa na edição impressa desta quarta-feira da Folha dos Lagos.