Assine Já
sábado, 31 de julho de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
12ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46181 Óbitos: 1868
Confirmados Óbitos
Araruama 11325 353
Armação dos Búzios 5463 57
Arraial do Cabo 1574 87
Cabo Frio 12663 757
Iguaba Grande 4763 115
São Pedro da Aldeia 6144 273
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Estado reforça investimentos em diagnóstico e tratamento do câncer de mama

08 outubro 2019 - 19h06
Estado reforça investimentos em diagnóstico e tratamento do câncer de mama

A Secretaria de Estado de Saúde investiu, desde janeiro deste ano, mais de R$35,3 milhões em exames de diagnóstico de diversas doenças e tem disponibilizado cerca de R$6 milhões para tratamento oncológico. Em comum entre os dois cofinanciamentos está o câncer de mama. O aporte financeiro aos municípios de todo o estado contribuiu para a redução do tempo de início de tratamento da doença, que tem durante este mês, com o Outubro Rosa, seu maior momento de conscientização.

No ano passado, 56% dos casos diagnosticados de câncer de mama levavam mais de 60 dias para iniciar o tratamento no estado. Em 2019, em apenas nove meses de novas políticas públicas, esse percentual caiu para 18%, segundo dados do Painel-Oncologia do Ministério da Saúde/Inca. Atualmente, a Lei dos 60 Dias estabelece que o tratamento seja iniciado em até dois meses da confirmação do câncer.

Para o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama não se limita só a um mês e, desde janeiro, o tema foi definido como prioridade, com o reforço dos cofinanciamentos e intensificação das ações.

– A detecção precoce da doença aumenta em até 90% as chances de cura, por isso são tão importantes os investimentos que temos feito para auxiliar as prefeituras em exames de rastreio. Caso o diagnóstico seja confirmado, nossa meta é que todas as pacientes comecem o tratamento em até dois meses no Rio de Janeiro. Temos um compromisso importante – aponta.

O câncer de mama tem sido combatido em duas frentes no estado. No eixo do diagnóstico precoce, mamografia e biópsia de mama guiada por ultrassom são dois dos exames previstos pelos cofinanciamentos. Já para o tratamento da doença, radioterapia, quimioterapia e cirurgia oncológica estão inseridas no termo de cofinanciamento com municípios que possuem Unidades ou Centros de Assistência Especializada em Oncologia (UNACON ou CACON).

Mais unidades para diagnóstico e tratamento – O novo formato das UPAs, que substitui as estruturas de contêiner por alvenaria a partir do ano que vem, também vai abranger o diagnóstico precoce de cânceres – entre eles, o de mama. No térreo da UPA remodelada funcionará a assistência médica como já funciona hoje; e num segundo andar, consultórios ambulatoriais especializados ou Centros de Diagnóstico Precoce do Câncer, com mamografia, ultrassom, endoscopia e colonoscopia. Para esses atendimentos, os pacientes serão inscritos no Sistema Estadual de Regulação.

Outro projeto de referência oncológica no estado que está saindo do papel é o Hospital do Câncer de Nova Friburgo.

- Em trabalho conjunto com a Empresa de Obras Públicas (EMOP), estamos estudando alternativas para reiniciar as obras abandonadas nos últimos anos e atender a demanda por oncologia da população da Região Serrana, proporcionando o tratamento perto de casa - diz.

 

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.