Assine Já
quinta, 02 de julho de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
16ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 319 Confirmados: 2909 Óbitos: 177
Suspeitos: 319 Confirmados: 2909 Óbitos: 177
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 268 582 40
Armação dos Búzios X 243 5
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 903 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 18 435 15
Saquarema 9 466 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Estado

Estado deve pagar hoje servidores da Segurança Pública

Delegacias registram apenas crimes mais violentos

18 janeiro 2017 - 07h41Por Rodrigo Branco I foto: Arquivo Folha
Estado deve pagar hoje servidores da Segurança Pública

O Governo do Estado espera pagar ainda esta semana os salários de de­zembro dos policiais civis que, desde ontem, estão com as atividades parali­sadas por causa do atraso no pagamento do último mês do ano passado e também do 13º salário, de horas-extras e premiações por metas cumpridas.

Decidida em assembleia na noite de segunda-feira, a paralisação tem duração de 72 horas, ou seja, até amanhã. Por enquanto, as delegacias estão registran­do apenas os casos consi­derados mais graves como os de homicídios, seques­tros e estupros. Crimes em flagrante e remoção de ca­dáveres também estão sen­do registrados. Após esse prazo, caso não haja uma solução, será iniciada gre­ve por tempo indetermi­nado e o contingente nas delegacias ficará restrito a 30% do efetivo, conforme estipula a legislação.

Apesar dos transtornos, a movimentação na dele­gacia de Cabo Frio (126ª DP) foi considerada tran­quila durante o dia de on­tem. Segundo o titular da unidade, delegado Renato Mariano dos Santos, as dificuldades são inegáveis por causa da crise econô­mica vivida pelo Estado.

– A situação está difícil para todo mundo. Se fa­lasse algo diferente disso, estaria mentindo. A cri­se é pública e notória. As dificuldades vão desde a estrutura até o quadro de pessoal, que está reduzido. Mas estamos fazendo o melhor possível com o que temos à disposição – disse o delegado.

Em nota, a Polícia Civil disse que não se manifesta sobre o teor de decisão de entidade de classe e escla­rece que os serviços emer­genciais serão mantidos.

Além dos policiais ci­vis, os agentes peniten­ciários também fazem paralisação, só que até a próxima segunda-feira, dia 23. Assim como os po­liciais, os agentes cobram o pagamento de venci­mentos atrasados e melho­ria nas condições de traba­lho nos presídios.