Assine Já
quarta, 02 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12808 Óbitos: 546
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1300 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1182 41
São Pedro da Aldeia 1997 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
Escolas

Estado diz que escolas não terão atividades encerradas

Secretaria de Educação afirma que listagem é um ‘mal-entendido’

24 novembro 2016 - 05h32Por Redação I Foto: Rodrigo Branco
Estado diz que escolas não terão atividades encerradas

 A já combalida educação no estado do Rio de Janeiro acor­dou na manhã de ontem com um golpe que parecia fatal: passou a circular na internet uma listagem de escolas que supostamente te­riam suas atividades encerradas pela Secretaria de Educação do Estado. Entre elas, estavam 18 escolas da Região dos Lagos, in­clusive o Miguel Couto, uma das mais conhecidas instituições pú­blicas de ensino médio em Cabo Frio. No entanto, a Secretaria Estadual afirma que a polvorosa que se formou nesse rastro não passa de um ‘mal-entendido’. A lista, segundo eles, é apenas uma ‘prestação de contas’ para formalizar o fechamento ou a mudança de atividade de escolas que foram fechadas ou transfor­madas desde a década de 1970 até os dias atuais.

A Folha entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação, no início da noite de ontem. Tanto por e-mail, quanto por telefone, o órgão disse que a listagem é apenas um trâmite burocrático. Confira a nota:

“A Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) esclarece que a listagem informada refe­re-se a unidades escolares que já foram extintas – algumas na dé­cada de 1970 –, ou seja, não são novos encerramentos de ativida­des. Vale lembrar que, em sua maioria, inclusive, são escolas privadas. A publicação tem o in­tuito de atender a uma legislação federal que prevê a divulgação dessas informações de interesse público”.

Ainda assim, a primeira ver­são da informação deixou lastro para especulações no ambiente escolar de Cabo Frio. Nos bas­tidores, a informação é que a suposta desativação aconteceria em função do pequeno número de alunos em algumas turmas.

– A gente perdeu dez turmas.

Mas acredito que seja questão de tempo. No ano que vem, haven­do uma procura elas devem ser reabertas. A gente acredita que seja por falta de alunos nas tur­mas, por ser um ano atípico com ocupação e greve. Mas acho que isso é só o momento. Ele sem­pre mudam alguma coisa porque não vão mudar isso também? – disse a diretora-adjunta do Mi­guel Couto, Márcia Regina.

Em contato com a reportagem da Folha, a Secretaria de Esta­do de Educação explicou que o nome de escolas como o Miguel Couto (pública) e o Sagrado Co­ração de Jesus (privada) na lista­gem deve-se à mudança de sta­tus dessas instituições ao longo do tempo:

– O Miguel Couto era Escola Estadual Miguel Couto, e pas­sou a ser um Colégio, trocando de nome e deixando de ofere­cer ou oferecendo um segmento novo, então temos que incluir essa instituição na listagem para ‘dar baixa’ e formalizar essa tro­ca – detalhou, em comunicado.