Assine Já
domingo, 17 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
entidades

Entidades defendem elaboração imediata de calendário de eventos

Representantes cobraram governo durante projeto Cidade Viva, no auditório da Folha, ontem

25 agosto 2017 - 09h42
Entidades defendem elaboração imediata de calendário de eventos

Produtores culturais e representantes de entidades de Cabo Frio querem,  em caráter de urgência, o calendário de eventos de Cabo Frio para o ano que vem. A prefeitura será oficiada sobre o assunto. A decisão saiu ontem durante debate do ‘Cidade Viva’, no auditório da Folha dos Lagos. 
Além do secretário de Cultura, Ricardo Chopinho, estiveram presentes o assessor da Prolagos Ricardo Azevedo, o Cacá; o presidente do Sindicato de Hotéis, Carlos Cunha; a presidente do Convention Bureau, Maria Inês; o músico Jessé Menezes; o artista plástico e chargista da Folha, Yuri Vasconcellos; Marcelo Jorge, o Japão, do Cabo Frio Moto Clube; e Wilson Miranda, o Juninho, da Associação Comercial (Acia). Ricardo Chopinho, no encontgro, disse que considera fundamental a regulamentação da parceria público-privado.
– Estive na Procuradoria-Geral do Município para elaboração da PPP (parceria público-privado) que Cabo Frio não tem. É uma coordenadoria para regulamentar essas parcerias. Se isso não for regulamentado, vamos continuar nessas parcerias feitas de boca. É um toma lá dá cá. A regulamentação dificultará que as parcerias sejam burladas e dará mais profissionalismo – disse. Cacá Azedo lembrou que os principais eventos da cidade não podem ficar reféns da vontade política.
– Calendário de eventos em Cabo Frio dura quatro anos. Aqui o empresário começa a se preparar para o calendário de eventos, entra outro governo e muda tudo. Tenho um exemplo de uma cidade que não funciona assim: Blumenau. O Oktoberfest acontece. Não tem interferência política – lembrou.