Assine Já
domingo, 24 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Enem

Expectativa para o Enem: vai começar a maratona!

Estudantes tentam driblar ansiedade nas horas que antecedem o exame

24 outubro 2015 - 09h00Por Rodrigo Branco

Não tem para onde correr. Um ano inteiro de esforço, sacrifí­cios e dedicação será colocado à prova em uma maratona de dez horas divididas em dois dias de avaliação. O futuro de milhões de estudantes brasileiros começa a ser decidido neste sábado (24), a partir das 13h30 (de Brasília), com o iní­cio do Exame Nacional do Ensi­no Médio (Enem).

Convivendo há meses com a expectativa de pais, parentes e amigos, os jovens cabofrienses tentam aproveitar os momentos que antecedem as provas para dar uma última repassada em al­guma matéria, refazer questões de anos anteriores e, na medida do possível, tentar relaxar das tensões acumuladas em horas de estudo e concentração nas salas de aulas de escolas e cursinhos.

Cobiçando uma vaga no cur­so de Economia da Universida­de Federal Fluminense (UFF) ou da Fundação Getúlio Vargas (FGV), João Victor Périssé, de 17 anos, chega ao fim de uma rotina de 15 horas de estudo, que começou em fevereiro. Com a proximidade da prova, o aluno do Instituto Santa Rosa admite o nervosismo, apesar de se dizer uma pessoa ‘tranquila’.

– Acho que chegando perto, vai dando um medo, mas tento manter a calma para colocar no papel o que estudei o ano todo. Tentei levar durante o ano uma vida mais descontraída nos fins de semana, então não deixei de sair muito, mas nessas últimas duas semanas tenho dado um gás final, então não tenho feito muita coisa – comenta o rapaz, que além de se preparar no co­légio, frequentou as aulas de um pré-vestibular e estudou por conta própria em casa.

Um pouco mais relaxada, mas também preocupada, Laís Ca­valcante, 19, assume as dificuldades em disciplinas como Fí­sica e Química, mas prefere não se colocar ainda mais pressão do que a que já existe.

– Não me preparei seguindo o roteiro que meu curso recomen­dou. Não fui a todos os simula­dos, faltei muitas aulas e sobre­tudo não fiquei 14 horas por dia estudando, por isso entendo que vou encontrar alguns percalços. Mas penso que a ansiedade so­bressai quando começo a pensar nas possibilidades negativas. Se não conseguir atingir meus de­sejos agora, a vida continuará seguindo e se mostrando de no­vas formas – filosofa a aspirante a uma vaga no curso de Jornalis­mo da UFF.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa deste fim de semana