Assine Já
quarta, 12 de maio de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
16ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 37918 Óbitos: 1447
Confirmados Óbitos
Araruama 9612 300
Armação dos Búzios 4692 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10088 529
Iguaba Grande 3759 93
São Pedro da Aldeia 5248 224
Saquarema 3202 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
Enel

Enel contabiliza 234 ocorrências com pipas no primeiro semestre

Concessionária faz alerta sobre risco de contato com a rede elétrica nas férias escolares

04 julho 2019 - 14h24Por Redação I Foto: Reprodução
Enel contabiliza 234 ocorrências com pipas no primeiro semestre

A Enel Distribuidora contabilizou 234 ocorrências envolvendo pipas na rede elétrica nos municípios da Região dos Lagos, todos sob a sua área de cobertura. Segundo levantamento da concessionária de energia, de janeiro a junho deste ano, os incidentes prejudicaram o fornecimento de energia para cerca de 67 mil clientes.

Em Cabo Frio, os bairros com mais incidências de interrupções deste tipo são Jardim Peró, Jardim Esperança, Boca do Mato, Porto do Carro e Alecrim. Em Araruama, as regiões mais afetadas são Mutirão, Mataruna, Boa Perna, Japão, Canaã e Buraco do Pau. Já em Saquarema, os bairros onde as pipas mais causam interrupções de energia são VilaTur, Bacaxá, Bom Sucesso, Rio da Areia, Condado, Água Branca e Jaconé.

Próximo ao período de férias escolares, a empresa adverte sobre o perigo que representa a combinação entre pipas e rede elétrica. Em comunicado, a Enel informa que se a segurança não for levada em conta, o que é uma inocente brincadeira pode ocasionar desligamentos na rede de energia e provocar acidentes graves, queimaduras e até a morte. 

Confira a seguir algumas recomendações feitas pela concessionária

- Soltar pipas perto da rede elétrica é muito perigoso. Elas podem enroscar nos fios com risco de descarga elétrica. Materiais metálicos também não devem ser utilizados na fabricação deste brinquedo, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, podendo causar até a morte de uma pessoa.

- O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado ainda mais a situação. O risco de acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica também são maiores.

- Não encostar em qualquer objeto estranho que esteja pendurado à rede elétrica.

- O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta a camada de borracha que reveste os fios de alumínio ou de cobre, criando a situação de transferência de corrente elétrica. Além disso, o uso de cerol também pode provocar acidentes com motociclistas.

O lançamento de pipas, sapatos, bolas, marimbas, bandeirinhas e balões pode causar acidentes graves. As linhas das pipas cortam os cabos elétricos, além de gerar risco de descargas elétricas no momento em que o objeto encosta na rede e as pessoas se arriscam também ao tentar recuperar pipas e outros itens presos na fiação.

- A população não deve tentar mexer em qualquer componente da rede elétrica, como a fiação aérea, por exemplo. Somente técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho que exige o uso de equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede elétrica.

- Além das pipas, é preciso redobrar a atenção com os balões.  Eles respondem por muitos acidentes na rede elétrica já que ele pode cair aceso em florestas, residências e indústrias e até oferecer perigo à aviação. O que antes era considerado uma brincadeira hoje é crime. De acordo com a nova Lei de Crimes Ambientais, Lei Nº 9.605, de fevereiro de 1998, não somente soltar balões agora é crime, como também fabricar, vender ou transportar. A pena prevista é de um a três anos de detenção ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. Caso a rede energia elétrica seja afetada pela queda de balões, a população pode ligar para 0800 28 00 120.