Assine Já
domingo, 28 de novembro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
20ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
EMPODERAMENTO

Encontro online de advogadas pretas do Brasil vai debater diversidade e empreendedorismo jurídico

Realizado pelo coletivo Dororidade Jurídica, segunda edição do Seminário vai contar com a participação da escritora Vilma Piedade e ocorrerá nos dias 4 e 5 de dezembro

24 novembro 2021 - 13h37Por Redação

A segunda edição do Encontro Online das Advogadas Pretas do Brasil, que terá como tema "Diversidade, Empreendedorismo Jurídico e Direito do Trabalho", acontecerá nos dias 4 e 5 de dezembro. O Seminário Jurídico, realizado pelo coletivo Dororidade Jurídica, irá contar com uma série de palestras e debates para fortalecer os temas urgentes e que passaram por grandes transformações devido à Pandemia. Criadora da palavra "dororidade", a escritora e professora, Vilma Piedade, é uma das convidadas do evento.

Durante o encontro, os inscritos participarão de palestras sobre "A discriminação da mulher hipossuficiente na Aplicação da Lei de Drogas (Lei 11. 343/06)"; "Direito Antidiscriminatório"; "Pessoas Trans a Lacuna do Poder Judiciário e o Direito Militar"; "Comprovando o Assédio e o Dano Moral na Justiça do trabalho"; "A Força da Advocacia Preta Feminina no Combate à Violência Obstétrica"; dentre outros.

Para uma das organizadoras, a advogada Mariângela De Castro, os assuntos retratados precisam ser amplamente debatidos e atualizados. "O novo cenário nos obrigou a repensar as formas de trabalho e recriar novas dinâmicas de empreender, alavancando a advocacia preta. Além disso, ressalto que poucos eventos da advocacia no Brasil possuem a representatividade de profissionais pretos. Estamos partindo para prática, a fim de mudar essa realidade, dando visibilidade as nossas competências profissionais. É preciso ficar claro que somos capazes de falar além do racismo", diz ao lembrar de uma pesquisa do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (Ceert), de 2019, que apontou que os negros representam 1% dos advogados de grandes escritórios.

O Seminário é aberto e quem quiser participar deve adquirir o ingresso no link https://www.sympla.com.br/2-encontro-online-das-advogadas-pretas-do-brasil__1413837. No site também está a programação completa do evento.

DORORIDADE JURÍDICA - O coletivo nasceu após a criação de um pequeno grupo de Whatsapp composto por advogadas pretas. Atualmente, são 42 advogadas pretas espalhadas por todo Brasil, multiplicando as vivências e buscando por mais integrantes.  Entre as participantes estão: a maior referência preta em Direito Previdenciário do Brasil, Rafaella Lima; a escritora do livro "Torrente Ancestral, Vidas Negras Importam?", Juliana Souza; e a advogada e ativista dos Direitos Humanos, coordenadora estadual Jurídica e de Comunicação do MNU-RJ e membra Fundadora do (Instituto da Advocacia Negra Brasileira), Margareth Ferreira.

O termo "Dororidade" nasceu da inquietude da escritora e professora, Vilma Piedade, frente à "Sororidade", um termo fundamental para o Feminismo. "Sororidade une, irmana, mas não basta. O que parece unir todas as mulheres, sem diferença de raça, classe, etnia, é a dor. A dor da violência que sofremos no cotidiano, provocada pelo machismo e que atinge a todas. Mas nós, mulheres e jovens negras temos uma dor a mais: a dor provocada pelo racismo". Para ela, o coletivo transforma a dor do racismo em potência, em aplicabilidade das leis, uma vez que um grupo de juristas negras sai do lugar da exceção, rompe a bolha da desigualdade, do machismo, da misoginia e do sexismo. É uma honra ter o conceito Dororidade, dando nome ao grupo", finaliza a escritora.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.