Assine Já
terça, 29 de setembro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8382 Óbitos: 435
Confirmados Óbitos
Araruama 1653 103
Armação dos Búzios 495 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2765 149
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
donos

Empresários pedem mudanças para o Turismo de Cabo Frio

Donos de restaurantes querem união das associações, eventos e mais segurança

25 agosto 2016 - 09h52Por Gabriel Tinoco
Empresários pedem mudanças para o Turismo de Cabo Frio

Na onda do Cidade Viva, que será aberto com o tema ‘Turismo – a cidade além da orla’, na manhã da próxima quarta-feira, a Folha perguntou aos empresários quais as medidas poderiam melhorar o setor em Cabo Frio. Os donos de restaurantes pediram desde mais realizações de eventos até a conservação dos pontos turísticos e a divulgação do município. 

O dono do Picanha na Tábua, Itanael Costa, 44, pede mais atrativos para o turista. 

– Tem que tentar trazer um turista que gaste mais em Cabo Frio. O visitante não está consumindo na cidade. É preciso também de mais eventos para chamar a atenção dos turistas – palpita o empresário.

O gerente do restaurante Japa do Canal, André Mesquita, 44, quer laços estreitos entre os setores turísticos e mais exploração dos recursos naturais.

– Uma sugestão é explorar mais os pontos turísticos, as belezas naturais de Cabo Frio. A cidade tem quatro cavernas. Isso proporcionaria um ótimo roteiro de ecoturismo para visitas. Os governantes deveriam explorar mais a cidade, como Gramado (RS) foi explorada, por exemplo. Além disso, deve haver mais união entre os setores turísticos. Falo dos hotéis, restaurantes... Uma associação unida poderá promover diversos eventos como festivais – opina.  

Um dos proprietários do Restaurante do Rogério, Igor Soares, quer uma melhor manutenção dos pontos turísticos.

– É necessário melhorar a infraestrutura dos pontos turísticos. Quando passo pelos pontos turísticos, vejo os monumentos pichados. Não há limpeza. No Canto do Forte, por exemplo, a praia está cheia de algas e com muita poluição. Também é necessário investir em divulgação – analisa o proprietário.

Já o proprietário da Kilomania, Clézio de Almeida,  30, vê os clientes assustados com a violência na cidade.

– É preciso investir mais em segurança. O turista está com medo de vir para cá. Não é raro ouvir os clientes falando de abordagens que receberam e isso assusta. Faz com que eles não queiram mais voltar. Ninguém quer estar em um lugar onde não se sente seguro. Essa é a medida mais urgente – conclui. 

Os debates serão sempre das 10h ao meio dia, obedecendo a pontualida destes horários. O fórum tem o apoio da Acia e apoio da Prolagos e da Madeireira Ita.