Assine Já
terça, 20 de abril de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 34054 Óbitos: 1273
Confirmados Óbitos
Araruama 8675 279
Armação dos Búzios 4115 54
Arraial do Cabo 1200 64
Cabo Frio 9216 453
Iguaba Grande 3308 82
São Pedro da Aldeia 4728 188
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
RESILIÊNCIA

Empreendedorismo: número de novos negócios em Cabo Frio cresce apesar da crise

Com 1.029 empresas abertas em 2020, município foi o oitavo no ranking do estado do Rio

27 fevereiro 2021 - 10h39Por Rodrigo Branco

Se é na dificuldade que surgem as oportunidades, os empresários de Cabo Frio são exemplo de resiliência quando o assunto é empreender em um momento de crise como o atual, de economia combalida por causa da pandemia de Covid-19. Não se trata de retórica, mas de números. De acordo com dados da Junta Comercial do Rio de Janeiro (Jucerja), aos quais a Folha teve acesso, 1.029 empresas foram abertas no município em 2020, número que o coloca em oitavo lugar no ranking do estado. No mesmo período, 516 empresas fecharam as portas. 

Em 2021, até o fechamento desta reportagem, já são 156 novos negócios em solo cabo-friense. Nada mal para um cenário que se assemelhava ao de uma terra arrasada no primeiro semestre do ano passado. Atrás dos números, contudo, há histórias de planejamento, ousadia e reinvenção. Foi o caso da atriz Alline Pillar, que decidiu deixar os palcos e textos dramatúrgicos de lado para ingressar no mercado de gastronomia. 

A empresária se preparava para dar aulas de teatro quando o novo coronavírus chegou com força e ela precisou fazer uma correção de rota profissional. Daí surgiu a idéia de abrir a Pizzaria Opereta, que começará a funcionar em breve, ainda no sistema de entregas, mas que abrirá as portas ao público quando acabar a pandemia.

 – Parei 15 dias sem saber o que fazer. Comecei a integrar grupos de doação e, nesse movimento, conheci muita gente e surgiram muitas idéias. É fácil se manter otimista quando se está envolvido com pessoas que querem ajudar. A idéia do meu sócio de montar uma pizzaria me chamou atenção. Parece estranho diante de tantas opções na cidade. Analisamos o mercado e entendemos que existe espaço para uma pizzaria nos moldes tradicionais italianos, com produtos de alta qualidade, molho artesanal, queijos especiais, massa de longa fermentação e feita no forno à lenha de alta tecnologia de um dos melhores fabricantes do Brasil – explica.

A reorientação não vale apenas para a carreira dos empreendedores, mas também para o perfil do negócio. Aberta desde outubro no Portinho, a Luck House GastroPub funcionava como um hostel até os decretos municipais de restrição econômica jogarem o setor de hotelaria e o Turismo em geral para o fim da fila entre os segmentos que voltariam a funcionar depois do período de quarentena. 

 

Raphael Brunetti, do Luck House Gastro Pub, prega a necessidade de planejar o negócio: "Os números são frios" (Foto: Arquivo Pessoal).

Um dos cinco sócios do empreendimento, Raphael Cesar Brunetti conta que, passado o desespero inicial com a proibição das atividades, o grupo de empresários tratou de fazer um longo planejamento que incluiu uma readequação financeira e as obras no local. Ele comenta que a idéia inicial já era transformar o hostel em pub, mas o contexto econômico e sanitário acelerou o processo. Com outros negócios no ramo de hostels e de operadoras de mergulho, Raphael conta que, apesar da vontade de ser ousado, é preciso ter os pés no chão.

– Os números são frios, não tem como colocar emoção nisso. A gente calcula, assume alguns riscos até grandes.  Aí sim, a gente considera arrojo, quando assume riscos maiores, mas é sempre tudo muito planejado, calculado, com muita ciência ali por trás. É muita pesquisa e muito trabalho nos bastidores para que a gente consiga montar [o empreendimento]. São alguns sócios e a primeira coisa é chegar ao consenso do que vai ser viável, funcional e ter retorno. Não tem como ser um tiro no escuro – ensina.

Segundo o dito popular, na vida, muitas vezes é preciso fazer do limão uma limonada. Esse  não é um desafio dos mais difíceis nas mãos de um chef de cozinha como João Trindade, proprietário do De Sempre Gastrobar, que funciona desde agosto na Passagem.

O espaço já passava por obras, quando a pandemia começou. João insistiu na iniciativa, apesar de ter sido desaconselhado a seguir adiante. Confiante no potencial do negócio, o empreendedor não desistiu. Ele espera que a melhoria nas condições sanitárias futuramente alavanque o restaurante.

– O movimento está abaixo do esperado, lógico, por causa das restrições, mas a gente está conseguindo levar. Espero que a vacina não demore tanto para andar melhor. Tem que ter bastante paciência e entender que estamos num momento difícil. Não pode querer que o negócio gire 100% ou que dê lucro imediato, porque nem fora de pandemia é a realidade de Cabo Frio. Estamos trabalhando com 30 a 50% da capacidade, dependendo do dia – disse o chef, paciente como quem espera o ponto certo de uma comida na panela. 

Sebrae promove capacitação

O mercado dos pequenos e médios empreendedores está aquecido, também de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Em 2020, houve um aumento de 14%¨na quantidade de pequenos negócios abertos em Cabo Frio em relação ao ano anterior, segundo dados da Receita Federal, usados como apoio pela entidade criada há quase 50 anos para a capacitação e a promoção do desenvolvimento econômico e da competitividade de micro e pequenas empresas no Brasil.

No ano passado, 5.497 micros e pequenas empresas cabo-frienses iniciaram as atividades, sendo 4.644 microempreendedores individuais [aumento de 145]; 783 microempresas [aumento de 17%] e 70 empresas de pequeno porte [aumento de 6%], também segundo informações da Receita Federal. 

– As pessoas encontraram no empreendedorismo uma forma de se recolocar no mercado de trabalho. Para não cair em armadilhas, o empreendedor precisa criar um plano de negócios. Após o período de formalização, ele deve estar atento aos seus direitos, benefícios e obrigações. Outro ponto importante é que o público mudou no último ano. As redes sociais aproximaram o cliente da empresa. Os negócios precisam se posicionar cada vez mais nos canais digitais. Essa é a nova tendência – explica a coordenadora do escritório regional do Sebrae Rio na Região dos Lagos, Ana Claudia Melo.

Em mais uma iniciativa criada para aumentar a produtividade e a competitividade da sua empresa, o Sebrae promove, de forma gratuita, o programa Brasil Mais. O objetivo é ajudar os micro e pequenos empresários a incrementarem seus negócios. As empresas participantes receberão o acompanhamento técnico de Agentes Locais de Inovação (ALI) para auxiliar no aprendizado de como aumentar a capacidade gerencial do seu empreendimento.

Para se inscrever é só acessar https://brasilmais.economia.gov.br/ - clique em Inscreva-se, Participe!, e escolher a opção no cadastro de ‘Melhores Práticas Gerenciais’.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.