Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
PRA ONTEM

Em carta, governadores cobram da União ações urgentes para evitar colapso econômico dos estados

Witzel reivindica do governo federal imediata liberação de R$ 50 bilhões para fazer frente à perda de arrecadação

02 abril 2020 - 20h25Por Redação
Após se reunirem por videoconferência na manhã desta quinta-feira (2), os governadores do Sul e do Sudeste, entre eles o do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, divulgaram carta aberta em que solicitam ao governo federal ações urgentes para evitar o colapso econômico dos estados.  Entre os pedidos está o repasse aos estados de verbas para recompor perdas de ICMS, royalties, participações especiais e outras receitas.

Em entrevista coletiva no Palácio Guanabara, Witzel defendeu que o governo federal transfira aos estados do Sul e Sudeste, em caráter emergencial, cerca de R$ 50 bilhões para fazer frente à queda dramática de arrecadação que esses estados estão sofrendo em função da pandemia de coronavírus. O governador pediu uma resposta para a carta dos governadores até a próxima semana, e advertiu que um colapso dos estados do Sul e do Sudeste "vai impactar profundamente todos os demais estados da Federação".

- O que se espera é uma solução para a queda na arrecadação dos estados. O grande problema do governo federal é entender que empréstimos demoram. Quase metade dos recursos destinados aos estados e municípios referem-se a operações de crédito e securitização. Isso tem alcance restrito. O governo federal precisa descentralizar recursos para socorrer os estados. O ministro Paulo Guedes precisa entender que a União não pode virar um grande banco. O momento é de a União romper o paradigma e injetar no Sul-Sudeste algo em torno de R$ 50 bilhões. Esperamos que o Guedes possa apresentar soluções, estamos à disposição - disse o governador.

Na carta, os governadores também pedem a prorrogação do pagamento de precatórios, a suspensão de pagamentos de dívidas com a União por 12 meses, a aprovação do Plano Mansueto pelo Congresso com as mudanças reivindicadas pelos estados, a suspensão dos pagamentos mensais do Pasep, e que o governo federal assuma dívidas dos estados com organismos internacionais, entre outras medidas.

Além de Witzel, assinam o documento os governadores de São Paulo, João Doria; de Minas Gerais, Romeu Zema; do Espírito Santo, Renato Casagrande; do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; do Paraná, Ratinho Júnior; e de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva.
 
Equipamentos de saúde

Na entrevista, Wilson Witzel também demonstrou preocupação com a lentidão do governo federal em fazer chegar aos estados equipamentos de saúde como respiradores, testes rápidos e EPIs (equipamentos de proteção individual).

- A doença está avançando e não estamos vendo, a nível do governo federal, a velocidade que se esperava para fazer frente às necessidades da Saúde – ressaltou o governador, lamentando ainda o atraso na distribuição dos R$ 600 à população mais vulnerável e na habilitação das empresas para receberem os financiamentos federais.
 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.