Assine Já
terça, 01 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12808 Óbitos: 546
Confirmados Óbitos
Araruama 2519 121
Armação dos Búzios 1300 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3851 182
Iguaba Grande 1182 41
São Pedro da Aldeia 1997 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
prostesto

Em Cabo Frio, ocupação acaba; protesto, não

Servidores desocupam Fazenda, mas decidem continuar a greve pelo atraso no pagame

24 junho 2016 - 08h59
Em Cabo Frio, ocupação acaba; protesto, não

O protesto durava 48 horas na manhã de ontem, quando um oficial de justiça trouxe liminar ordenando que os manifestantes desocupassem a Secretaria de Fazenda. Os servidores obedeceram, mas não deixaram de alfinetar o prefeito Alair Corrêa (PP): “nós, diferente dele, respeitamos a lei”, afirmou Gelcimar Almeida, o Mazinho, presidente do SindSaúde.
Mas os servidores da Educação, da Saúde voltam a protestar nesta manhã. Eles farão manifestação na frente do Hospital Central de Emergência (HCE), às 9h. A categoria decidiu em assembleia que a greve continua.
Os trabalhos foram retomados na Secretaria na manhã de ontem e os manifestantes nem chegaram a entrar no prédio. A Guarda Municipal tentou impedir a Folha de tirar fotos na sede e a superintendência teve que ser chamada para dar autorização.
– Iremos reunir a categoria para definir os próximos passos. Para o trabalhador, a lei ainda está funcionando. Aliás, ela está funcionando contra o trabalhador. A Justiça notifica o prefeito para pagar até o quinto dia útil, mas ele não respeita essa decisão. Nós, ao contrário, respeitamos as leis – dispara Mazinho.
O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cabo Frio (SINDICAF), Olney Vianna, também aproveitou para debochar do prefeito.
– Ordem judicial a gente cumpre. Não somos que nem o prefeito. Provavelmente faremos a assembleia aqui pela rua mesmo, mas nada de ocupar prédio público – comenta.
A manifestação foi motivada por uma declaração do prefeito em que afirmava que o pagamento sairia primeiro para os não grevistas. Os servidores, de maneira geral, ocuparam a secretaria. A Prefeitura, no entanto, conseguiu uma liminar para afastar os manifestantes da Educação do prédio. Os integrantes da SindiSaúde e do SindiCaf permaneceram na sede até a manhã de ontem.
O prefeito publicou na noite de quarta-feira uma note em que chamava os grevistas da Educação de “preguiçosos sindicalistas”. No comunicado, Alair comemorava a liminar que expulsava os manifestantes da secretaria e lamentava o tratamento dado ao seu irmão, que é secretário de Fazenda, Axiles Corrêa.
Problemas do atraso – Enquanto desocupavam o prédio, os servidores lamentavam os problemas acarretados pela falta de pagamento. O atraso nas contas era a principal reclamação entre eles: “é necessário escolher entre pagar a conta de luz ou a de água”, disse uma funcionária que não quis se identificar.
O servidor Onésio Rodrigues, 65, por exemplo, precisou pedir dinheiro emprestado.
– Estou com minhas contas todas atrasadas. Luz ainda não foi paga. Eles podem cortar minha água também, aliás, não sei porque isso ainda não aconteceu. Estou com o IPTU atrasado também. Nessa situação, fui obrigado a pedir dinheiro emprestado para esse amigo que está aqui ao meu lado (e o amigo confirmou) – revelou, bem preocupado.
O técnico de enfermagem Paulo César Sobral confessou estar todo endividado.
– Quase todas as contas não foram pagas. Afinal, estou a quase dois meses sem pagamento. Quando o salário é depositado, estamos automaticamente pagando os cartões de crédito. Não sobra nada. Além de ter que pagar luz, água, telefone e outras contas do cotidiano – finaliza.