Assine Já
quarta, 26 de fevereiro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
22ºmin
Apartamento
A VOZ DO POVO

Em Arraial, moradores reclamam de buracos e desordem

Entre críticas e elogios, cabistas apontam o que precisa ser melhorado na cidade

12 fevereiro 2020 - 19h20Por Tomás Baggio

Buracos nas ruas, falta de limpeza em bueiros e galerias pluviais – o que colabora para alagamentos –, falhas no controle do trânsito e estacionamentos irregulares durante a alta temporada são alguns dos alvos de reclamações dos cabistas. A Folha esteve ontem em Arraial do Cabo, inaugurando série de reportagens sobre as reivindicações de moradores de cidades da região – sugestões e denúncias também podem ser encaminhadas para o Whatsapp do jornal – (22) 99933-2196.

Apesar das críticas, os moradores reconheceram que as ruas resistiram bem às chuvas dos últimos dias. Na Prainha, por exemplo, não houve reclamações relacionadas à limpeza, mesmo após dias seguidos de chuvas fortes.

O morador Michel Marques Gomes, que trabalha com passeios de barco, observa que os serviços de coleta de lixo e varrição de ruas têm sido feitos normalmente.

– Nessa última chuva, foi bem tranquilo. Não tivemos alagamentos ou outros problemas. É normal, sempre quando chove, descer muita terra do morro, mas isso só pode ser resolvido quando a chuva acabar. A coleta de lixo está normal, não tenho do que reclamar – opinou ele.

Michel, no entanto, não pinta a cidade como mil maravilhas. A desorganização na alta temporada gera incômodo.

– Em relação ao turismo, acho que está abandonado. Trabalho nessa área e, para mim, foi o pior verão que eu já tive. É muita desorganização nos estacionamentos. Faltam guardas nas ruas. Os turistas ficam todos perdidos nas ruas. As pessoas estacionando em qualquer lugar e ninguém fez nada para fiscalizar – afirmou. 

Quem também reclama do trânsito é o atendente Mário Jorge Castão, que mora em Cabo Frio e trabalha em Arraial.

– A cidade não consegue suportar a quantidade de turistas que querem entrar. Quando eu venho trabalhar, às 7h, o trânsito já está horrível, tudo engarrafado. Acho que isso é uma coisa que a Prefeitura deveria se preparar, porque todo ano é a mesma coisa – opina.

O comerciante Sóstenes Martins afirma que, sempre quando chove forte, a preocupação na Prainha é com o nível da lagoa do Parque Público. Desta vez, ele conta, não houve problema.

– Sempre quando chove ficamos atentos à lagoa, porque, se o nível subir demais, ela transborda. Desta vez deu tudo certo. Ontem estava bem alto mas hoje já diminuiu – completa.

Sobre a limpeza, Sóstenes diz que “na medida do possível, a coleta tem sido feita”. A varrição, no entanto, para ele poderia ser feita duas vezes ao dia, e não apenas uma, como ocorre atualmente.

– Passam só de manhã. Quando chega no fim da tarde a rua está suja de novo – diz

Ainda na Prainha, a comerciante Nara Júvia faz elogios à Saúde. Ela afirma conseguir todos os atendimentos que precisa.

– A Saúde eu acho que está boa. Eu me consulto aqui no posto do bairro. Já fiz tratamento dentário. O doutor que me atende é ótimo. No hospital também, tem os aparelhos para exames. Ainda pego meu remédio para pressão de graça aqui no postinho.

O engenheiro Sérgio Vaz, que mora no Rio e tem casa no Centro de Arraial, onde passa o verão há mais de 30 anos, gosta da organização da cidade.

– É uma cidade pequena e eu acho que é bem organizada. Não tem muitos problemas – resume ele.

Alagamentos – Outros pontos da cidade, no entanto, foram mais atingidos com alagamentos nos últimos dias. É o caso do bairro Canaã. Segundo o aposentado Manoel Peçanha, morador da Rua Júlio de Macedo, o problema é recorrente.

– A minha rua sempre alaga quando chove. Na minha casa não entra água, porque é mais alta. Mas as casas mais baixas sofrem com esse problema. Desta vez não foi muito grave. Vejo que falta limpeza de bueiros. Ficam muito entupidos com entulho e areia. Acredito que deveriam fazer galerias na Avenida Getúlio Vargas, e ligar as ruas transversais a essas galerias, para escoar melhor a água da chuva e evitar os alagamentos – sugere ele.

Manoel também reclama dos buracos espalhados pelas ruas da cidade. O aposentado José Roberto Souza, morador da Rua Vilas Boas, no Canaã, há cerca de 40 anos, concorda.

–  Em relação à limpeza, o único problema aqui é a enxurrada que desce do morro quando chove, mas em relação a isso não tem jeito, e a limpeza é sempre feita. O problema aqui são esses buracos que nunca acabam. Eles tapam e logo em seguida os buracos voltam. Não dá pra entender isso. Consertam e logo depois já afunda de novo –afirma ele, apontando para os buracos que estão surgindo em frente de casa.

Com a palavra, a Prefeitura

Procurada pela Folha, a Prefeitura de Arraial do Cabo enviou uma nota abordando os pontos citados.

Sobre a limpeza de bueiros e galerias, a Prefeitura garantiu que “a Secretaria de Serviços Públicos realiza, periodicamente, a limpeza dos bueiros e galerias de acordo com o cronograma de limpeza”. 

“O bairro Canaã, por exemplo, foi atendido no mês passado. A Prefeitura reforça que a população auxilie no processo de conscientização a respeito do descarte de lixo em vias públicas, pois quando descartado inadequadamente, ele entope os bueiros. Outro pedido é quanto ao descarte de óleo nos bueiros, que é considerado crime ambiental”, diz a nota.

Sobre o tráfego intenso na cidade, a nota afirma que “está em discussão a criação de um bolsão de estacionamento fora do centro da cidade”. 

“A discussão faz parte da pauta da Taxa de Proteção Ambiental (TPA) e do novo Plano Diretor da cidade que já está sendo elaborado. Quanto ao tráfego interno, a Guarda Municipal vem reforçando a sinalização da cidade, enfatizando a proibição de estacionar em algumas vias, ordenando o sentido das ruas e multando os infratores”. 

A reclamação de desordem no verão também foi abordada. A Prefeitura afirmou que a Fiscalização de Posturas atua para coibir a venda ilegal de passeios de barco nas ruas e estacionamentos irregulares.

“Ainda sobre o ordenamento do turismo, principalmente relacionado ao passeio de barco, a implementação do Bilhete Eletrônico deve acontecer em breve. A Prefeitura vem se reunindo com barqueiros e empresários do ramo para discutir o projeto para que seja bom para todos. No projeto, inclui o ordenamento e revitalização da Marina dos Pescadores para atender o aumento da demanda”, segue a nota.

Sobre os distritos de Figueira e Monte Alto, onde a situação dos alagamentos é mais grave – nos últimos dias, diversas ruas foram inundadas – a Prefeitura alega que “o projeto de pavimentação em algumas ruas seguirá acontecendo neste ano, conforme o cronograma. No entanto, diversas ruas não podem receber esse serviço por estarem situadas em área de preservação ambiental e o município não foi autorizado pelos órgãos ambientais responsáveis a realizar as obras”.

Já em relação aos buracos nas ruas, a Prefeitura jogou na conta da Prolagos, a concessionária de abastecimento de água e tratamento de esgoto.

“O secretário de Obras de Arraial do Cabo já se reuniu com a Prolagos solicitando que a empresa refaça o asfalto, danificado pela empresa devido às obras realizadas no município. Os remendos feitos pela empresa no asfalto estão estourando”. 

A Prolagos também foi procurada pela reportagem. Por nota, afirmou que “a concessionária está comprometida com o município de Arraial do Cabo e em ação conjunta com Prefeitura, por meio da  secretaria de Obras, está levantando as intervenções que precisam ser feitas”.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 29 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições na porta de casa, de terça a sábado. Ligue já: (22) 2644-4698.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.