terça, 23 de abril de 2024
terça, 23 de abril de 2024
Cabo Frio
29°C
Park Lagos Super banner
Park Lagos beer fest
mulheres

Eleições aumentam representatividade feminina nas Câmaras da região

No entanto, apesar de maioria no eleitorado, elas ainda ocupam somente 15% das cadeiras no Legislativo

19 outubro 2016 - 10h23Por Fernanda Carriço
Eleições aumentam representatividade feminina nas Câmaras da região

Pode ainda não ser o ideal, mas o resultado das eleições municipais na Região dos Lagos aponta para um aumento da participação da mulher nos poderes Executivo e Legislativo. Dos sete municípios, três terão a voz de comando delas a partir de janeiro: Lívia de Chiquinho (PDT), em Araruama; Manoela Peres (PTN), em Saquarema e Grasiella Magalhães (PP), reeleita em Iguaba Grande, mas ainda pendente de confirmação pelo TRE.

Nas Câmaras municipais, o crescimento é discreto, mas perceptível. Em Cabo Frio, depois de 12 anos, haverá uma representante feminina. Na verdade, duas. Alexandra Codeço (PRB) e Letícia Jotha (PSC) serão as responsáveis por lutar por mais políticas de afirmação para o segmento e prometem não se intimidar por ser serem minorias.

– Eu não abaixo a cabeça para ninguém. Pode esperar que serei uma pedra no sapato deles – dispara Letícia Jotha, que acrescenta que será ‘linha dura com os homens’.

Grávida de sete meses da primeira filha, Maria Vitória, a vereadora eleita afirmou que tem projetos específicos para as mulheres, mas prefere não entrar em detalhes. Mas garante que o mandato promete boas surpresas.

– A população cansou, quer renovação e optou por escolher a mulher para renovar mesmo – finalizou.

Alexandra Codeço, que tentou entrar na Câmara na eleição passada, também promete honrar o voto feminino e realizar um grande sonho: emplacar o projeto de uma UTI pediátrica na cidade. Para ela, tanto as mulheres quanto as crianças são pouco representadas e quer mudar essa realidade. Codeço, que já foi diretora da UPA do Parque Burle, acredita que as urnas deram um recado de ‘basta’ e a renovação tem que prevalecer.

– É a oportunidade do novo. Vou inovar, quero entrar onde ninguém tem coragem de entrar, por exemplo em comunidades mais carentes. O político depois que ganha a eleição some destes locais, mas eu não. Meu mandato será feito diretamente com a participação popular. No primeiro dia de trabalho quero conhecer a rotina, me informar sobre como funciona. Depois da primeira semana, estarei nas ruas – conclui.

Em Búzios, dos nove vereadores eleitos, Joice Costa (PP) se reelegeu e Gladys (PRB) também conseguiu uma vaga no legislativo. Em São Pedro da Aldeia, quatro vereadoras foram eleitas, sendo duas como as mais votadas da cidade: Bia de Guga (PMDB) e Mislene de André (PV). A elas farão companhia Claudinha (PTB) e Leni Santos (PR). Em Iguaba, foi eleita uma representante feminina, Marcily de Bácio (PDT). Só em Arraial do Cabo que nenhuma mulher foi eleita. A única vereadora da cidade, Maria Amaral (PMDB), não foi reeleita.

Participações nas Câmaras cresce 86%

Apesar de ainda ser um índice inexpressivo diante da importância da mulher na economia brasileira, o número de vereadoras eleitas para as Câmaras da Região dos Lagos cresceu 86% em relação a eleição de 2012. Nas sete cidades da região (Cabo Frio, Búzios, Arraial do Cabo, São Pedro, Iguaba, Araruama e Saquarema), em 2012, foram apenas sete mulheres eleitas. Já agora, foram 13. A proporção de mulheres nas Câmaras, no entanto, é de apenas 15%.

A Câmara de São Pedro foi a que mais elegeu mulheres, de 10 vagas, quatro são delas – o que representa 40% das vagas. Em Cabo Frio e Búzios foram duas mulheres em cada uma delas. Só Arraial do Cabo não elegeu mulher.