Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21896 Óbitos: 720
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
eleições 2016

​Eleições 2016: Carlos Victor será vice de Marquinho

Documento entregue ao TRE oficializa irmão de candidato do PMDB como companheiro de chapa

28 julho 2016 - 10h17
​Eleições 2016: Carlos Victor será vice de Marquinho

Na busca por um fiel escudeiro para a campanha, ou mesmo um substituto de confiança caso tenha problemas para registrar a candidatura, o candidato do PMDB, Marquinho Mendes, recorreu a uma solução caseira. No caso, o próprio irmão, Carlos Victor Mendes (PSB), que já foi secretário de Governo, Turismo e da extinta Desenvolvimento e Turismo, nas administrações de Marquinho, entre 2005 e 2012.

O nome de Carlos Victor consta na ata da convenção municipal do PMDB, realizada na noite da última sexta, em clube de São Cristóvão. O documento já foi entregue ao Tribunal Regional Eleitoral. Apesar do registro documental, a assessoria de Marquinho nega a informação.

O nome de Carlos Victor não era um dos favoritos para com- por a chapa com Marquinho. De acordo com pessoas ligadas ao deputado federal, as opções mais prováveis eram o vereador Aqui- les Barreto (Solidariedade) e a empresária Ruth Schuindt, vice de Janio em 2012 e tida como a favorita para a indicação.

Com a indicação do irmão para vice, Marquinho indica que já se precavê de uma possível impugnação do registro de candidatura ou mesmo seja impedido de tomar posse, caso concorra e vença as eleições.

Na convenção, o responsável pela defesa de Marquinho nos seus processos na Justiça, Carlos Magno de Carvalho, chegou a dizer que “a vontade do eleitor seria respeitada”, no caso da vitória de seu cliente. Mas, pelo sim, pelo não, o peemedebista se cerca da confiança fraterna para tentar voltar ao poder.

*Leia a matéria completa na edição impressa da Folha desta quinta-feira