Assine Já
sábado, 28 de novembro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12084 Óbitos: 539
Confirmados Óbitos
Araruama 2426 118
Armação dos Búzios 1132 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1129 40
São Pedro da Aldeia 1874 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
ato

Educação vai às ruas protestar contra vereadores e governo

Manifestantes deram gritos de ordem contra o empréstimo na Praça Porto Rocha

11 maio 2016 - 11h34
Educação vai às ruas protestar contra vereadores e governo

O cancelamento da votação do empréstimo bancário na Câmara dos Vereadores aliado ao oitavo dia útil sem receber o salário foi o final de um pavio de pólvora para os servidores da Educação de Cabo Frio. Os profissionais marcharam pela Avenida Assunção para reivindicar os pagamentos imediatos e protestar contra o crédito pleiteado pela Prefeitura.

Os funcionários públicos saíram da prefeitura e seguiram na direção da Praça Porto Rocha. Os manifestantes deram gritos de ordem contra os vereadores e os acusaram de formar a ‘Câmara do Silêncio’. Eles alegaram que o empréstimo comprometerá a receita do município. O movimento pedia o cumprimento da pauta de direitos como o pagamento do 13º salário, dentre outros direitos, além de pedir mais transparência das contas públicas no município.

O protesto foi aprovado em assembleia pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação. A categoria também decretou paralisação geral de 72h e acompanhamento das sessões em que o empréstimo bancário será votado.

Trânsito – Quem estava no ponto de ônibus, no entanto, precisou esperar mais porque a manifestação deixou o trânsito na avenida mais lento. A Folha entrou em contato com o secretário de Ordem Pública, Jailton Nogueira, que afirmou ter sido pego de surpresa. Ele disse que nenhum ofício chegou à pasta para avisar que o protesto aconteceria.

– Mais uma vez não mandaram nenhum ofício. A Polícia Militar até perguntou qual era o horário do protesto. Ou seja, a PM também não foi avisada. Não é uma manifestação esporádica. Quando é um sindicato, é necessário avisar – afirmou.

Na sessão de ontem, as atividades foram suspensas pelo presidente da Casa por conta da ocupação dos professores no plenário. O objetivo da categoria era pressionar os vereadores a votar contra o empréstimo. Na ocasião, a Polícia Militar e a Guarda Municipal também foram acionadas para conter os ânimos dos manifestantes.

(*) Atualizado em 12/5 às 09:17 h.