Assine Já
terça, 07 de julho de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
TEMPO REAL Suspeitos: 293 Confirmados: 3094 Óbitos: 185
Suspeitos: 293 Confirmados: 3094 Óbitos: 185
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 254 597 40
Armação dos Búzios X 265 7
Arraial do Cabo 9 83 11
Cabo Frio X 959 61
Iguaba Grande 13 218 20
São Pedro da Aldeia 1 479 16
Saquarema 16 493 30
Últimas notícias sobre a COVID-19
ato

Educação vai às ruas protestar contra vereadores e governo

Manifestantes deram gritos de ordem contra o empréstimo na Praça Porto Rocha

11 maio 2016 - 11h34
Educação vai às ruas protestar contra vereadores e governo

O cancelamento da votação do empréstimo bancário na Câmara dos Vereadores aliado ao oitavo dia útil sem receber o salário foi o final de um pavio de pólvora para os servidores da Educação de Cabo Frio. Os profissionais marcharam pela Avenida Assunção para reivindicar os pagamentos imediatos e protestar contra o crédito pleiteado pela Prefeitura.

Os funcionários públicos saíram da prefeitura e seguiram na direção da Praça Porto Rocha. Os manifestantes deram gritos de ordem contra os vereadores e os acusaram de formar a ‘Câmara do Silêncio’. Eles alegaram que o empréstimo comprometerá a receita do município. O movimento pedia o cumprimento da pauta de direitos como o pagamento do 13º salário, dentre outros direitos, além de pedir mais transparência das contas públicas no município.

O protesto foi aprovado em assembleia pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação. A categoria também decretou paralisação geral de 72h e acompanhamento das sessões em que o empréstimo bancário será votado.

Trânsito – Quem estava no ponto de ônibus, no entanto, precisou esperar mais porque a manifestação deixou o trânsito na avenida mais lento. A Folha entrou em contato com o secretário de Ordem Pública, Jailton Nogueira, que afirmou ter sido pego de surpresa. Ele disse que nenhum ofício chegou à pasta para avisar que o protesto aconteceria.

– Mais uma vez não mandaram nenhum ofício. A Polícia Militar até perguntou qual era o horário do protesto. Ou seja, a PM também não foi avisada. Não é uma manifestação esporádica. Quando é um sindicato, é necessário avisar – afirmou.

Na sessão de ontem, as atividades foram suspensas pelo presidente da Casa por conta da ocupação dos professores no plenário. O objetivo da categoria era pressionar os vereadores a votar contra o empréstimo. Na ocasião, a Polícia Militar e a Guarda Municipal também foram acionadas para conter os ânimos dos manifestantes.

(*) Atualizado em 12/5 às 09:17 h.