Assine Já
terça, 02 de março de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26908 Óbitos: 924
Confirmados Óbitos
Araruama 6793 183
Armação dos Búzios 3238 32
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7468 356
Iguaba Grande 2542 56
São Pedro da Aldeia 3551 126
Saquarema 2451 133
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

Educação protesta pelas ruas de Cabo Frio nesta segunda (12)

Categoria critica proposta do governo de pagar apenas metade do salário aos contratados

12 junho 2017 - 11h29Por Texto e foto: Rodrigo Branco
Educação protesta pelas ruas de Cabo Frio nesta segunda (12)

Os profissionais da Educação começam nesta segunda-feira (12) uma paralisação de 72 horas nas atividades, decidida em assembleia na última sexta (9). Para marcar posição contra a proposta do governo municipal de quitar apenas metade dos salários de maio dos contratados, os servidores fazem um protesto pelas ruas do centro de Cabo Frio. O ato teve início em frente à prefeitura, onde os manifestantes se concentraram.

A categoria reclama ainda a falta de pagamento de outros direitos como vale-transporte; triênio e auxílio-doença. Comparando a gestão do prefeito Marquinho Mendes à do antecessor, Alair Corrêa, a diretora de imprensa do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos), Denise Teixeira, criticou duramente a proposta de 'fatiamento' do salário, cuja segunda metade seria paga, no mínimo, em agosto. Ela disparou ainda contra o que chamou de 'quebra de contrato' e de 'caixa preta' da administração, isso no que diz respeito aos gastos do município.

– Não vamos aceitar essa politicagem com o contrato e o trabalhador sem salário. Se tivermos que ficar o ano inteiro na rua, vamos ficar – advertiu a sindicalista.

A manifestação seguiu pelos dois sentidos na Avenida Assunção e causou transtornos no trânsito, uma vez que havia poucos guardas municipais para organizar o tráfego. A reportagem entrou em contato com a prefeitura para saber uma posição sobre as reivindicações da categoria e aguarda a resposta. O texto será atualizado tão logo ela chegue. De todo modo, para esta segunda (12), o governo promete divulgar uma proposta de reparcelamento das dívidas salariais de 2015 e de 2016.