Assine Já
quarta, 23 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43602 Óbitos: 1679
Confirmados Óbitos
Araruama 10812 339
Armação dos Búzios 5233 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11637 622
Iguaba Grande 4474 107
São Pedro da Aldeia 5916 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Educação decide por paralisação de 24 horas na segunda (15)

Categoria afirma que Prefeitura não cumpriu acordo para pagamentos salariais

12 maio 2017 - 10h10Por Redação I foto: Divulgação Sepe Lagos
Educação decide por paralisação de 24 horas na segunda (15)

Os profissionais da Educação de Cabo Frio decidiram paralisar as atividades por 24 horas na próxima segunda-feira (15) em assembleia realizada na noite de quinta (11) no Colégio Municipal Edilson Duarte, no Jardim Caiçara. Na reunião também ficou definido que a categoria passa a ficar em 'estado de greve'.

De acordo com o Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos), as atitudes foram tomadas em função do descumprimento da Prefeitura quanto ao pagamento de parcelas do acordo firmado com a categoria no começo do ano, para quitação de salários não pagos na gestão anterior. Para a categoria, a gota d'água foi o atraso no pagamento do mês de abril, vencido na última segunda (8) e quitado apenas parcialmente.

Também foi marcado para a manhã da próxima segunda (15) um ato em frente à Prefeitura. No dia seguinte, os educadores acompanharão a sessão da Câmara e solicitarão o uso da tribuna. Uma nova assembleia está marcada para a próxima quarta (17), no mesmo local. 

Prefeito e Sepe divergem sobre pagamentos

Com a situação financeira cambaleante do município, o cumprimento da folha salarial começa a ratear. O prefeito Marquinho Mendes garantiu que já foram pagos os vencimentos dos servidores estatutários e prometeu pagar até o fim do dia de ontem os contratados da Saúde e da Educação. Ainda assim permaneceriam em aberto os salários dos funcionários comissionados e de parte dos profissionais de ensino.

Contudo, a diretora do Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe Lagos), Denise Teixeira, contestou as informações e disse que os professores ainda não receberam o mês de abril. Nos 11 primeiros dias deste mês, entraram nos cofres cabofrienses apenas R$ 3 milhões do Fundo de Valorização do Ensino Básico (Fundeb), quantia considerada insuficiente para quitar os compromissos. Contudo, a sindicalista vê com maus olhos a dependência do recurso.

– O fundo foi criado para valorização e hoje a maioria dos municípios o utilizam para pagar a folha na integralidade – critica a sindicalista.