Assine Já
segunda, 06 de julho de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos: 337 Confirmados: 3024 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 272 585 40
Armação dos Búzios X 256 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 954 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 465 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Educação de Cabo Frio volta atrás sobre fim do Ensino Médio

Por outro lado, não há previsão orçamentária para o segmento em 2016

02 dezembro 2015 - 09h26

Uma semana depois de de­cidir que não seriam oferecidas vagas de Ensino Médio para a comunidade no ano que vem, a secretaria municipal de Educa­ção voltou atrás. Na realidade, a pasta acatou uma determinação do próprio prefeito Alair Corrêa para que o procedimento de ma­trícula, pelo menos para 2016, não sofresse qualquer alteração.

A Folha dos Lagos teve aces­so a um e-mail enviado pela pre­feitura na última sexta-feira para os diretores das unidades, no qual a secretaria informa que “seguin­do determinações do prefeito”, os procedimentos de matrícula para o Ensino Médio no ano que vem, “serão os mesmos dos anos ante­riores, sem alterações”.

– Ele tem consciência de que é ilegal não oferecer vagas ten­do as condições pra isso. E sabe que iríamos nos organizar pra barrar isso também – comentou o diretor de Política do Grêmio Estudantil Livre Edson Luís, do Colégio Municipal Rui Barbo­sa, Ruan Vidal.

A professora Denize Alvaren­ga, que esteve na última sexta-feira no Programa Folha ao Vivo na Rádio Cabo Frio AM para fa­lar sobre o assunto, acredita que a reação da comunidade escolar fez tenha surtido efeito.

– O e-mail foi enviado no mesmo dia que fui ao programa. Só a pressão popular para barrar essas medidas – afirmou.

Mas se a notícia represen­ta um alívio momentâneo para quem deseja ingressar ou já estu­da no Ensino Médio municipal, nem tudo são flores. Isto porque, segundo o vereador Aquiles Bar­reto (SD), no orçamento para a Educação previsto para o ano que vem, de R$ 253 milhões, não há dotação para o segmento. O parlamentar espera, por meio de emendas sugestivas, reverter a situação.

– Estamos preocupados com essa situação da Educação, por­que não está prevista no orça­mento a manutenção desses co­légios. Então vamos apresentar de imediato as emendas suges­tivas porque essa discussão de­veria ter sido feita em abril pela prefeitura – preocupa-se.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quarta-feira (2)