Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8099 Óbitos: 418
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 487 10
Arraial do Cabo 248 15
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1323 51
Saquarema 1177 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Educação

Educação de Cabo Frio volta atrás sobre fim do Ensino Médio

Por outro lado, não há previsão orçamentária para o segmento em 2016

02 dezembro 2015 - 09h26

Uma semana depois de de­cidir que não seriam oferecidas vagas de Ensino Médio para a comunidade no ano que vem, a secretaria municipal de Educa­ção voltou atrás. Na realidade, a pasta acatou uma determinação do próprio prefeito Alair Corrêa para que o procedimento de ma­trícula, pelo menos para 2016, não sofresse qualquer alteração.

A Folha dos Lagos teve aces­so a um e-mail enviado pela pre­feitura na última sexta-feira para os diretores das unidades, no qual a secretaria informa que “seguin­do determinações do prefeito”, os procedimentos de matrícula para o Ensino Médio no ano que vem, “serão os mesmos dos anos ante­riores, sem alterações”.

– Ele tem consciência de que é ilegal não oferecer vagas ten­do as condições pra isso. E sabe que iríamos nos organizar pra barrar isso também – comentou o diretor de Política do Grêmio Estudantil Livre Edson Luís, do Colégio Municipal Rui Barbo­sa, Ruan Vidal.

A professora Denize Alvaren­ga, que esteve na última sexta-feira no Programa Folha ao Vivo na Rádio Cabo Frio AM para fa­lar sobre o assunto, acredita que a reação da comunidade escolar fez tenha surtido efeito.

– O e-mail foi enviado no mesmo dia que fui ao programa. Só a pressão popular para barrar essas medidas – afirmou.

Mas se a notícia represen­ta um alívio momentâneo para quem deseja ingressar ou já estu­da no Ensino Médio municipal, nem tudo são flores. Isto porque, segundo o vereador Aquiles Bar­reto (SD), no orçamento para a Educação previsto para o ano que vem, de R$ 253 milhões, não há dotação para o segmento. O parlamentar espera, por meio de emendas sugestivas, reverter a situação.

– Estamos preocupados com essa situação da Educação, por­que não está prevista no orça­mento a manutenção desses co­légios. Então vamos apresentar de imediato as emendas suges­tivas porque essa discussão de­veria ter sido feita em abril pela prefeitura – preocupa-se.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quarta-feira (2)