Assine Já
sábado, 04 de julho de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
16ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 325 Confirmados: 2996 Óbitos: 179
Suspeitos: 325 Confirmados: 2996 Óbitos: 179
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 260 584 40
Armação dos Búzios X 250 6
Arraial do Cabo 11 73 11
Cabo Frio X 943 58
Iguaba Grande 13 207 20
São Pedro da Aldeia 24 455 16
Saquarema 17 484 28
Últimas notícias sobre a COVID-19
Dois pesos

Dois pesos, medidas diferentes

Enquanto obra da Prainha, em Arraial, padece, reurbanização na periferia de Cabo Frio é retomada

17 março 2016 - 09h23

As necessidades da população dos municípios da Região dos Lagos são muitas e, à primeira vista, prioritárias, mas ao que parece o governo do estado não entende desta forma. Enquanto os moradores e quiosqueiros da Prainha, em Arraial do Cabo, lamentam a paralisação das obras de revitalização da orla, conforme publicada na edição de ontem da Folha, os bairros da periferia de Cabo Frio, sobretudo na região do grande Jardim Esperança, acompanham a retomada da reurbanização nas comunidades que ficam ao longo da Avenida Wilson Mendes, como o Cantinho do Céu, que acaba de receber novamente máquinas e equipamentos.

Dos R$ 78 milhões previstos no convênio entre o governo do estado e a prefeitura de Cabo Frio por meio do programa ‘Somando Forças’, já foram repassadas três parcelas de R$ 7,5 milhões, a última no último dia 2. Enquanto isso, o cartão postal de entrada de Arraial segue tomado de estacas e contêineres, sem previsão de que as obras recomecem no local. Por nota, a secretaria estadual de Obras disse que a diferença na gestão do trabalho é o que determina os repasses.

– Em Cabo Frio, o ‘Somando Forças ‘já repassou, em 2 de março de 2016, a terceira parcela do convênio. A prefeitura está executando as obras. Como falado ontem ao telefone, os repasses dependem de prestação de contas por parte das prefeituras.

No caso de Arraial do Cabo, embora a obra também sido contemplada pelo Programa Somando Forças, teve a licitação realizada pela Seobras. Ou seja, não há repasse para a prefeitura. A retomada das obras na periferia da cidade ocorre quase dois anos depois do seu anúncio, com pompa e a presença do governador Luiz Fernando Pezão.

Com problemas referentes à documentação, a prefeitura chegou a colocar os investimentos em risco, mas tudo foi solucionado. Depois, com a crise no estado, nova ameaça ao projeto, o que, ao que parece, também foi resolvido, pelo menos momentaneamente. Pelo projeto inicial, o objetivo é beneficiar os bairros Jardim Peró, Guriri, Vila do Peró e Monte Alegre. No papel, constam o asfaltamento de 35 quilômetros e o calçamento de 70 quilômetros em dezenas de ruas.