Assine Já
terça, 20 de abril de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
Tropical
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 34054 Óbitos: 1273
Confirmados Óbitos
Araruama 8675 279
Armação dos Búzios 4115 54
Arraial do Cabo 1200 64
Cabo Frio 9216 453
Iguaba Grande 3308 82
São Pedro da Aldeia 4728 188
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
Dois pesos

Dois pesos, medidas diferentes

Enquanto obra da Prainha, em Arraial, padece, reurbanização na periferia de Cabo Frio é retomada

17 março 2016 - 09h23

As necessidades da população dos municípios da Região dos Lagos são muitas e, à primeira vista, prioritárias, mas ao que parece o governo do estado não entende desta forma. Enquanto os moradores e quiosqueiros da Prainha, em Arraial do Cabo, lamentam a paralisação das obras de revitalização da orla, conforme publicada na edição de ontem da Folha, os bairros da periferia de Cabo Frio, sobretudo na região do grande Jardim Esperança, acompanham a retomada da reurbanização nas comunidades que ficam ao longo da Avenida Wilson Mendes, como o Cantinho do Céu, que acaba de receber novamente máquinas e equipamentos.

Dos R$ 78 milhões previstos no convênio entre o governo do estado e a prefeitura de Cabo Frio por meio do programa ‘Somando Forças’, já foram repassadas três parcelas de R$ 7,5 milhões, a última no último dia 2. Enquanto isso, o cartão postal de entrada de Arraial segue tomado de estacas e contêineres, sem previsão de que as obras recomecem no local. Por nota, a secretaria estadual de Obras disse que a diferença na gestão do trabalho é o que determina os repasses.

– Em Cabo Frio, o ‘Somando Forças ‘já repassou, em 2 de março de 2016, a terceira parcela do convênio. A prefeitura está executando as obras. Como falado ontem ao telefone, os repasses dependem de prestação de contas por parte das prefeituras.

No caso de Arraial do Cabo, embora a obra também sido contemplada pelo Programa Somando Forças, teve a licitação realizada pela Seobras. Ou seja, não há repasse para a prefeitura. A retomada das obras na periferia da cidade ocorre quase dois anos depois do seu anúncio, com pompa e a presença do governador Luiz Fernando Pezão.

Com problemas referentes à documentação, a prefeitura chegou a colocar os investimentos em risco, mas tudo foi solucionado. Depois, com a crise no estado, nova ameaça ao projeto, o que, ao que parece, também foi resolvido, pelo menos momentaneamente. Pelo projeto inicial, o objetivo é beneficiar os bairros Jardim Peró, Guriri, Vila do Peró e Monte Alegre. No papel, constam o asfaltamento de 35 quilômetros e o calçamento de 70 quilômetros em dezenas de ruas.