Assine Já
terça, 26 de maio de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Suspeitos: 937 Confirmados: 867 Óbitos: 84
Suspeitos: 937 Confirmados: 867 Óbitos: 84
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 31 256 24
Armação dos Búzios 415 65 1
Arraial do Cabo 11 26 5
Cabo Frio 426 227 20
Iguaba Grande 18 66 12
São Pedro da Aldeia 21 85 6
Saquarema 15 142 16
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Do Chile a Cabo Frio em duas rodas: uma viagem emocionante pela América do Sul

Eles se encantaram ao chegar na cidade

09 maio 2014 - 19h52Por Rosana Rodrigues|Fotos: Johnny Costa
Do Chile a Cabo Frio em duas rodas: uma viagem emocionante pela América do Sul

A paixão pela aventura em duas rodas ultrapassa fronteiras, percorre quase quatro mil quilômetros e atinge o coração de uma brasileira. Os protagonistas da história de amor, recheada de pistas acidentadas, curvas e até mesmo neve são o chileno Alexis Salvo Cantilana, empresário, e a mineira Isadora Ramos, cabeleireira. Juntos, eles já percorreram mais de cem mil quilômetros por países da América do Sul.

A dupla deu início à ultramaratona romântica em 2010, nas  redes sociais, com uma trepidação que balançou o sentimento da cabeleireira, também fascinada pelo veículo de duas rodas. A atração por viagens em motocicleta foi o ponto de largada do casal. Durante sete meses, eles testaram as afinidades pelas redes sociais e, após este período, Alexis já estava em Belo Horizonte, Minas Gerais, pela primeira vez no Brasil, para conhecer aquela que seria a sua esposa. “Nos identificamos muito e, durante uma semana, nos conhecemos melhor”, suspirou Isadora, que quatro meses depois partiu para a Argentina para dar início à grande primeira viagem. E veja só: o pit stop da terceira jornada turística do casal está sendo Cabo Frio. “A cidade está muito linda”, se espantou Isadora, que esteve no município há 20 anos.

Unidos pela a aventura, os dois já realizaram três longas viagens a bordo de uma Honda Gold Wing de 1,8 mil cilindradas, num total de quase 100 mil quilômetros. No primeiro itinerário, em 12 dias, eles passearam pelas cidades de São Luis, Córdoba, Santa Fé, Buenos Aires e Mendonzana, na Argentina. Além de Paysandú, Montevidéu, Punta del Este e Colônia do Sacramento, no Uruguai.

– Somente em cinco dias, pilotamos 900 quilômetros. A intenção era chegar ao Brasil, mas o calor intenso não nos permitiu – lembra Alexis.

Já a segunda maratona, em setembro de 2012, durou sete dias, e começou em Santiago, no Chile, onde mora o casal. Nesta etapa, os aventureiros passaram pelo outro lado da Argentina, pela cidade de Salto, Mendonza, San Juan (oeste, próxima à Cordilheira dos Andes), Larioja (norte ocidental), Catamarca e San Miguel de Tucuman (noroeste). Na terceira empreitada, que teve início no fim do mês passado e que terminará na próxima semana, os motociclistas incluíram Cabo Frio no roteiro da viagem.

– Entramos no Brasil por Foz do Iguaçu numa segunda-feira. Na quarta, já estava na minha cidade natal, em Curvelo, interior de  Minas, onde ficamos por quatro dias por causa de um encontro de motociclistas – observou a mineira.

Isadora permaneceu por três dias na casa de uma conterrânea, no Bairro de Vila Nova, depois seguiu para São Paulo. Por lá, mais por dois dias, na casa de amigos. Na volta, retornarão por Santa Fé e Rosário, na Argentina, para, enfim, chegar a Santiago, no Chile, o que deve acontecer na próxima quinta-feira (15) .

– Quando se entra no Brasil, já se percebe a diferença com a receptividade das pessoas. Os caminhoneiros, principalmente, costumam dar muitas dicas da estrada e hospedagem em hotéis. A intenção do Alexis era viajar durante grande parte da noite para avançar mais a viagem, mas muitos alertam para os perigos na estrada. E são sugestões muito confiáveis, que não podemos descartar – ressalta a motociclista.

Veja a reportagem completa na edição deste sábado (10) do jornal Folha dos Lagos.