Assine Já
segunda, 13 de julho de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 272 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 12 241 20
São Pedro da Aldeia 10 530 19
Saquarema 32 566 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
dívidas

Dívidas e cortes prejudicam serviços na região

Municípios endividados precisam cortar investimentos e cidades sofrem consequências

07 novembro 2016 - 23h29Por Rodrigo Branco I Foto: Arquivo Folha
Dívidas e cortes prejudicam serviços na região

A complicada situação financeira dos municípios da Região dos La­gos é o espelho do que acontece no próprio estado do Rio e no restante do país. De acordo com dados de um levantamento feito pela Confedera­ção Nacional dos Municípios em 39 cidades fluminenses, o déficit nos cofres públicos é de mais R$ 895 milhões. Somente em São Pedro da Aldeia, o buraco é de mais de R$ 30 milhões.

Em Cabo Frio, que não fez par­te do estudo da CNM, a situação é crítica e o reflexo está no colapso dos serviços essenciais, sobretu­do na Saúde. Ontem, por exemplo, duas importantes unidades ficaram sem atendimento – nos hospitais da Criança, no Guarani, e da Mulher, no Braga, os pacientes foram obri­gados a dar meia-volta e buscar aju­da em outro lugar.

Na semana passada, foi o Hospital Central de Emergência que ficou fe­chado durante o feriado de Finados e metade do dia seguinte. A versão oficial deu conta de atraso dos plan­tonistas, mas segundo fontes, dois médicos haviam pedido demissão por não estarem recebendo salários.

Com os vencimentos atrasados em média dois meses, funcionários da Educação estão em greve desde junho. Com a demissão de funcio­nários no mês seguinte, a situação se agravou e pelo menos 15 escolas que permaneciam com aulas, entre elas o tradicional Rui Barbosa, tive­ram que fechar as portas.

Na limpeza urbana, o cenário também é problemático, com irregu­laridade na coleta de lixo em vários bairros. Apesar disso, pelo menos quatro empresas são responsáveis pelo serviço, a última delas – con­sórcio Duna Forte – contratada re­centemente por quase R$ 4 milhões.

Em Arraial, a situação não chega a ser tão assustadora, mas após as eleições, a ordem é apertar o cinto onde puder. O prefeito interino da cidade, Luciano Tequinho (PPS) tem promovido uma série de cortes. Serviços como o transporte públi­co gratuito de estudantes do Ensino para Jovens e Adultos nos distritos também foram cortados. Curiosa­mente, apesar do discurso de caixa vazio, o município tem feito muitas obras. O 13º salário deve ter a pri­meira parcela paga esta semana e a segunda em dezembro, assim como a parcela integral em São Pedro. Já em Cabo Frio, não há previsão.