Assine Já
sábado, 05 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 13221 Óbitos: 567
Confirmados Óbitos
Araruama 2625 126
Armação dos Búzios 1500 22
Arraial do Cabo 427 21
Cabo Frio 3925 183
Iguaba Grande 1197 41
São Pedro da Aldeia 2010 79
Saquarema 1537 95
Últimas notícias sobre a COVID-19
Secretário

Dirlei Pereira não fala sobre uso do Terminal dos Transatlânticos

Secretário de Turismo diz que não teve acesso ao contrato de cessão da área

25 novembro 2015 - 10h17

O secretário municipal de Turismo de Cabo Frio, Dirlei Pereira da Silva, não quis comentar, ontem, a cessão pela Prefeitura da área física do Terminal dos Transatlânticos, por 140 dias e sem remuneração aos cofres públicos.

Em entrevista à Folha, Dirlei Pereira falou sobre a alta temporada, o planejamento da Secretaria, mas, sobre o terminal, foi evasivo nas respostas.

Folha dos Lagos – O que de fato acontece com a cessão da área do Terminal de Transatlânticos para a iniciativa privada?

Dirlei Pereira – A Secretaria apenas está localizada no Terminal de Transatlânticos. Mas não é ela que faz a gestão do receptivo. Não tive acesso ao contrato de permissão.

Folha – Há prejuízos para o município?

Dirlei – Como não tive acesso ao contrato, penso que seria leviano fazer qualquer juízo.

Folha – Mais de 30 transatlânticos estão previstos para esta temporada em Cabo Frio. O que isto significa para o cofre municipal?

Dirlei – Em outros tempos, isto não significaria quase nada para a prefeitura. Mas no momento atual, de crise na arrecadação, creio que os recursos das taxas de embarque serão muito bem-vindos.

Folha – Em crise, a estrutura do turismo será prejudicada?

Dirlei – Ano passado foram 8 transatlânticos, desta vez teremos 34. Além do que, temos um fato novo importantíssimo. Cabo Frio acaba de ser elevada à elite nacional do turismo no ranking do Ministério do Turismo. Agora somos classe A. Exceto as capitais, apenas 24 cidades em todo o país, podemos ostentar esse título. Brizola dizia que a crise está na cabeça do administrador. Eu sou um otimista na acepção da palavra.

Folha – Qual a expectativa de público para o verão 2016?

Dirlei – O chutômetro sempre foi o instrumento usado para medir o número de visitantes. Convencionou-se dizer que na virada do anos temos 1 milhão de turistas. Não sou leviano. Não temos dados estatísticos concretos para fazer qualquer previsão.

 

*Leia a entrevista completa na edição impressa desta quarta-feira (25)