Assine Já
terça, 20 de abril de 2021
Região dos Lagos
26ºmax
19ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 34054 Óbitos: 1273
Confirmados Óbitos
Araruama 8675 279
Armação dos Búzios 4115 54
Arraial do Cabo 1200 64
Cabo Frio 9216 453
Iguaba Grande 3308 82
São Pedro da Aldeia 4728 188
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
Dirlei

Dirlei Pereira admite que pode ser candidato a prefeito

Ex-secretário acredita ser alternativa frente 'ao desgaste dos adversários'

12 abril 2016 - 10h28Por Rodrigo Branco
Dirlei Pereira admite que pode ser candidato a prefeito

Ex-secretário disse que não pretende impor seu nome: "Não vai ser uma candidatura a ferro e fogo" (Arquivo Folha)

Após um tempo sumido dos holofotes, mas articulando bastante nos bastidores da política de Cabo Frio, o ex-secretário municipal e presidente municipal dos Democratas (DEM), Dirlei Pereira, sinalizou que pode se lançar candidato a prefeito nas eleições de outubro. Evitando criticar diretamente os demais pré-candidatos, Dirlei afirmou que está tranquilo e que não pretende impor o seu nome, mas achou graça no fato de não estar sendo considerado nas pesquisas de opinião já realizadas nas ruas da cidade.

– Não vou lançar a minha candidatura a qualquer preço, a ferro e fogo. Precisamos sentar e ouvir a sociedade. Tenho falado isso, e sendo até tachado de polêmico, mas o fato é que temos hoje facções políticas na cidade, que não se entendem, enquanto temos é que construir pontes, pacificar. Dependendo das conversas e da aceitação, eu serei candidato a prefeito, sim – disse.

Presidente municipal de um dos partidos que estão na oposição ao governo federal, Dirlei se disse preocupado com a situação do país e com os reflexos na cidade. Cotado para formar uma possível frente de oposição ao atual prefeito e candidato a reeleição Alair Corrêa (PP), de quem foi secretário, juntamente com Janio Mendes (PDT), Adriano Moreno (Rede) e, possivelmente, Paulo César (PSDB), Dirlei se diz propenso a ser uma alternativa às lideranças locais, todas desgastadas, segundo ele.

– Marquinho coloca uma postagem na rede social, às vezes sem relação com política, e é execrado. De 500 comentários, metade é criticando. Com Alair, nem se fala. Paulo César também. Então veja que há um desgaste muito grande do eleitor com os políticos – avalia.
Para ele, as eleições deste ano serão ‘atípicas’, uma vez que devem ser influenciadas pelas investigações da Operação Lava Jato e pelo fato de a campanha durar apenas 45 dias.

– A diferença financeira entre as campanhas será menor. Prevalecerão as ideias – acredita, referindo-se ao fim do financiamento empresarial.
Além de Alair, já se colocaram como pré-candidatos Janio, Adriano, Paulo César, além de Marquinho Mendes (PMDB) e Cláudio Leitão (PSOL).