Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
​Diego Andrade desvenda os mistérios do Simples na OAB

​Diego Andrade desvenda os mistérios do Simples na OAB

Diretor da Ramires Contabilidade quer intensificar projeto de palestras

09 março 2016 - 11h03

Simples Nacional tem sido o desafio de Diego Andrade, diretor da Ramires Contabilidade, Consultoria e Treinamentos, de Cabo Frio. Na semana passada, por exemplo, ele esteve na Ordem dos Advogados do Brasil, subseção municipal (OAB), para fazer palestra sobre o assunto. As dúvidas sobre o assunto sempre existem e o que Diego Andrade quer é ampliar esta missão de se apresentar para os mais diferentes segmentos para falar sobre o assunto.

Folha dos Lagos – Recentemente, você fez palestras para advogados na OAB de Cabo Frio sobre o Simples Nacional? Qual é a recomendação que fez a estes profissionais?
Diego Andrade –
Sim, foi uma palestra muito importante para mim. Fui acrescentar aos advogados as vantagens e desvantagens de ter uma sociedade advocatícia enquadrada no Simples Nacional.

Folha – O Simples Nacional é igual para todas as categorias de profissionais liberais?
Diego –
Basicamente, sim. Eu digo basicamente pois é a mesma “estrutura” de pagamento e transmissão de informações ao fisco. Algumas exceções e restrições são referentes às alíquotas de impostos de cada categoria empresarial.

Folha – No caso dos advogados, qual é a carga tribuária?
Diego –
Os advogados estão enquadrados no anexo IV do Simples Nacional; neste anexo, as alíquotas vão de 4,50% a 16,85%, mas para maior esclarecimento, caso a empresa tenha somado um faturamento de até R$180.000,00 nos últimos 12 meses, ele paga uma alíquota de 4,50% mensais sobre o faturamento, isso sem levar em consideração a parte previdenciária.

Folha – Qual seria a carga tributária dos advogados fora do Simples Nacional?
Diego –
Uma empresa enquadrada no Lucro Presumido, paga sobre o faturamento uma alíquota de 16,33%, isso sem levar novamente em consideração a parte previdenciária, uma diferença para o Simples Nacional de 262,89% sobre a alíquota inicial. É assustador.

Folha – Não é novidade lembrar que, atualmente, por força da instabilidade econômica que vivemos, há muito gente endividada com o Simples. O que fazer nestes casos?
Diego –
Este problema é cada vez mais comum entre os empresários, mas é de fácil solução. Hoje, o Simples tem a opção do Parcelamento do Simples Nacional, que pode ser feito apenas 1 vez a cada ano, e pode ser parcelado em até 60 meses.

Folha – Quando a empresa ou o profissional liberal perde o Simples por conta da dívida?
Diego –
A opção do Simples Nacional é irretratável para todo o ano; então, se a empresa foi excluída do Simples Nacional durante o ano, ela só poderá fazer uma nova opção apenas em Janeiro do ano seguinte. Lembro também que só pode fazer a opção pelo Simples Nacional a empresa que não tenha nenhum débito em atraso com os órgão federais, estaduais e municipais.

Folha – Você pretende estender estas palestras sobre o Simples para outras categorias?
Diego –
Sim, tenho a pretensão de focar mais nessa área de palestras, pois é dessa área que gosto. Gosto de orientar, gosto de tirar duvidas. E são nessas horas que escutamos alguns casos interessantes e discutimos algumas soluções de problemas. Tenho interesse ainda em fazer uma palestra para os empresários, mostrando a eles até onde o fisco tem conhecimento sobre as informações de cartões de créditos, faturamentos e contas bancárias dos empresários e suas empresas.