Assine Já
sábado, 19 de setembro de 2020
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Destino

Destino de André Granado para novamente na Justiça

TRE julgará em data não especificada recurso para desconstituição dos diplomas do prefeito  e do vice

29 março 2017 - 07h56
Destino de André Granado para novamente na Justiça

 Como se não bastassem os pro­blemas políticos internos que en­frenta com a bancada de oposição na Câmara Municipal, o prefeito de Armação dos Búzios, André Grana­do (PMDB), tem novamente sobre si a sombra da Justiça. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TJ) julga­rá, em data ainda não divulgada, um recurso que pede a desconstituição dos diplomas de Granado e do vi­ce-prefeito, Henrique Gomes (PP) e a realização de novas eleições no município. A ação foi proposta em dezembro do ano passado pelo Ministério Público e já houve um parecer favorável da Procuradoria Regional Eleitoral (2ª instância do MP) pela cassação do mandato de Granado. O advogado de defesa da chapa, Sérgio Azevedo, descarta o afastamento imediato do prefeito.

– Não há decisão alguma de cas­sação do prefeito André nem do vice-prefeito Henrique Gomes. O que existe é uma ação proposta em dezembro do ano passado pelo Mi­nistério Público. O processo subiu para o TRE e houve um parecer da Procuradoria Eleitoral pela cassa­ção do André. Obviamente, o MP ia emitir um parecer favorável à ação que ele mesmo propôs. Mas nós te­mos plena confiança que essa ação vai ser julgada improcedente assim como foi na ação de impugnação do registro de candidatura do André – explica Azevedo.

No entanto, o chumbo contra o prefeito é grosso. Três processos de adversários da chapa Granado/Hen­rique foram incorporados à ação do Ministério Público Eleitoral: o da Coligação “Por Amor a Búzios sem Corrupção” (PRP/PTN/PTC/ PSOL); o do candidato a vereador Flávio Machado (PTB) e o do can­didato a prefeito Alexandre Martins (PRB). Entre as acusações está o uso da máquina pública na campanha eleitoral pela reeleição.

A batalha nos tribunais eleitorais não é novidade para o prefeito buzia­no. No ano passado, ele chegou a ter a candidatura impugnada, baseado na Lei da Ficha Limpa, por ter sido condenado por improbidade admi­nistrativa em processo referente à época em que foi secretário de Saú­de do ex-prefeito Toninho Branco (2005-2008). Antes mesmo da elei­ção, contudo, ele conseguiu reverter a impugnação no TRE-RJ. No fim do ano, a vitória definitiva no TSE com­putou oficialmente os 6.772 votos que recebeu nas urnas em outubro.