Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Desfile de blocos na orla da Praia do Forte em xeque

Convention pediu restrição e Associação dos Blocos não aceita distanciamento da praia

14 fevereiro 2019 - 09h34
Desfile de blocos na orla da Praia do Forte em xeque

Um impasse em relação ao Carnaval 2019 em Cabo Frio pode ser resolvido hoje. Trata-se do desfile de blocos na orla da Praia do Forte, que, embora estivesse sendo planejado pela Associação dos Blocos e Secretaria de Cultura, foi colocado em xeque após uma solicitação do Convention & Visitors Bureau.

A solicitação foi feita há duas semanas, durante uma reunião entre diversas entidades ligadas à organização do Carnaval, no gabinete do prefeito Adriano Moreno. Na ocasião, embora a Associação dos Blocos tenha apresentado um planejamento incluindo os desfiles na orla, a diretora do Convention, Maria Inês Oliveros, pediu que os dois quarteirões entre a Avenida Nilo Peçanha e a Rua 13 de novembro ficassem livres da passagem de trios elétricos.

– Os trios deixaram de passar na orla há dois anos, porque da última vez que passaram ali teve uma confusão muito grande. Houve tiros, violência. Foi um transtorno enorme. Comerciantes tiveram que fechar as portas e tudo mais. Então as pessoas estão apreensivas de acontecer algo parecido novamente. Somos totalmente favoráveis ao Carnaval, é uma festa cultural, ajudamos a divulgar de todas as formas que pode mos. Então a única coisa que pedimos foi que os trios não passem naquele trecho – disse Maria Inês.

O pedido não foi bem visto pela Associação dos Blocos. O diretor da entidade, Joir Reis, afirma que os blocos “não arredam pé” do planejamento de desfilar na orla da praia, e afirma que alguns blocos estão ameaçando deixar de desfilar em caso de alteração no trajeto proposto.

– Nosso planejamento já estava aprovado junto ao governo. Todos os órgãos de segurança já haviam sido informados e não tivemos nenhuma objeção. Só que a partir deste posicionamento feito pela Maria Inês começamos a ter várias informações contraditórias. Nos foi oferecido por integrantes do governo para levar os desfile para o canto da orla, próximo ao (Hotel) Mandai. Nós não aceitamos isso. Os blocos estão irredutíveis e querem que o direito de ir e vir seja garantido. Respeitamos o Convention, mas não vejo qualquer substância no que ela está falando e não conheço ninguém que seja contra o desfile na orla. Inclusive temos diretores de blocos que são comerciantes na praia e são favoráveis aos desfiles – disse Joir.

De acordo com o diretor da Associação dos Blocos, das 25 agremiações que confirmaram participação no carnaval deste ano, cinco pediram para passar pela orla da praia. Ainda de acordo com ele, caso o pedido seja negado, “quase a totalidade (dos 25) está disposta a não desfilar se a passagem na orla for proibida”.

– Considero que o Convention não tem substância nenhuma para pedir isso. A Maria Inês não conhece nada de Carnaval. Me parece muito mais uma questão pessoal, visando exclusivamente o comércio que ela tem ali – disse ainda o diretor da Associação dos Blocos de Cabo Frio.
Maria Inês, por outro lado, refuta a fala de Joir e afirma que a polêmica poderia sequer existir caso o planejamento do Carnaval tivesse sido compartilhado anteriormente com todos os interessados.

– Não tem nada pessoal. O Convention representa cerca de 170 associados e, até onde eu sei, todos os comerciantes da orla da praia são contrários ao desfile naquele trecho. Na minha opinião, toda ação deste tipo precisa ser compartilhada com todos, para que as decisões sejam tomadas em conjunto. Esse embate é desagradável. Acho que todos têm boas intenções com a cidade. É uma questão de olhar todos os pontos de vista e fazer os ajustes necessários para ter um consenso. O bom é quando todo mundo dialoga de uma forma tranquila e segue em uma mesma via. Assim todos se ajudam – considerou Maria Inês.

De acordo com a secretária de Cultura de Cabo Frio, Meri Damaceno, a decisão pode ocorrer em uma reunião que será realizada hoje na Secretaria de Turismo, com representantes de várias entidades ligadas ao Carnaval. Meri disse que o que for decidido terá o apoio dela.

– Para mim, particularmente, tanto faz se vai ter ou não trio passando pela orla. O Carnaval vai acontecer de qualquer forma porque temos blocos desde o Segundo Distrito até a Passagem. Tem o lado que acha legal porque o trio puxa uma multidão, faz uma festa bonita. Outros acham que é perigoso. Todos os lados devem ser considerados. O que for definido em comum acordo eu assino embaixo – disse Meri.