Assine Já
quinta, 05 de agosto de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46659 Óbitos: 1894
Confirmados Óbitos
Araruama 11510 362
Armação dos Búzios 5522 58
Arraial do Cabo 1591 88
Cabo Frio 12723 768
Iguaba Grande 4824 117
São Pedro da Aldeia 6240 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
ALÍVIO NO BOLSO

Desconto nas mensalidades na rede privada se torna lei estadual no Rio

A norma valerá para todos os segmentos pré-escolar, infantil, fundamental, médio e superior

04 junho 2020 - 20h36Por Redação

O governador Wilson Witzel (PSC) sancionou, nesta quinta-feira (4), uma lei que prevê que as instituições privadas de ensino são obrigadas a reduzir o valor das mensalidades durante o período de vigência do estado de calamidade pública. A norma valerá para todos os segmentos de ensino: pré-escolar, infantil, fundamental, médio (incluindo técnico e profissionalizante) e superior (incluindo cursos de pós-graduação). 

A redução de valores deve seguir os seguintes parâmetros: para unidades cuja mensalidade é de até R$ 350, não haverá desconto. Já aquelas com mensalidade acima desse valor deverão aplicar um desconto de 30% sobre a quantia que ultrapassa a faixa de isenção. Ou seja, uma escola com mensalidade de, por exemplo, R$ 700 deverá aplicar um desconto de R$ 105, uma redução total de 15%. Já uma instituição que cobrava R$ 2 mil deverá aplicar um desconto R$ 495, ou 24,75% do total. A redução nos valores será aplicada apenas aos contratos que preveem aulas na modalidade presencial, e não valerão para contratos com inadimplência há pelo menos duas mensalidades.

No caso de cooperativas, associações educacionais, fundações e micro e pequenas empresas de educação, o desconto será de 15% para aquelas que cobrem mensalidade maior que R$ 700. O valor da redução também será calculado pela diferença entre a mensalidade e a faixa de isenção (R$ 350). No caso de escolas de horário integral, com atividades extracurriculares complementares (incluindo o oferecimento de refeições), o desconto a ser aplicado por esses serviços deverá ser de no mínimo 30%. A medida também proíbe o aumento nas mensalidades, a suspensão de descontos e bolsas de estudo em vigor e a demissão dos funcionários das instituições. Os descontos determinados pela medida serão cancelados a partir do reinício das aulas presenciais regulares, podendo ser estendidos por 30 dias, mediante deliberação da mesa de negociação.

Os estabelecimentos que já definiram com os contratantes os descontos a serem aplicados deverão manter o acordado. O descumprimento da lei implicará a aplicação de multas, nos termos do Código de Defesa do Consumidor e do órgão de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado do Rio de Janeiro (Procon-RJ).

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.