Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Barra

Descaso à beira da Praia do Forte

Entulho e esgoto prejudicam Barra, a poucos metros de um dos principais cartões postais da cidade

17 agosto 2016 - 10h09Por Texto e foto: Gabriel Tinoco
Descaso à beira da Praia do Forte

A caminhada é curta. São poucos passos para dar de cara com o quadro não emoldurado do Forte São Matheus. Mas a distância em termos de beleza é enorme: à beira mar, a Barra sofre os mesmos problemas de toda comunidade em Cabo Frio. Os moradores se cansam do entulho que toma o lugar das crianças na pracinha, povoada por alguns ratos. O esgoto invade as casas e o mato cobre o parque capenga, sem um balanço de sobra.

A Folha tentou entrar em contato com a Secretaria de Obras, mas não obteve sucesso.

O contraste é grande. Após observar a praia, a entrada repleta de lixo mostra uma descida que dá na praça. O espaço, completamente abandonado, tem reclamações dos pais de crianças, que precisam brincar em outros bairros.

Mesmo assim, o pescador Wagner Mendonça, 40, faz limpeza diária na praça.

– Nós limpamos essa lixarada todo dia. Mas tem horas que não temos tempo, afinal, também trabalhamos. Há muito tempo em que o trator que tira entulho não passa aqui. A coleta até que vem regularmente. As crianças correm no meio do lixo. O parque está cheio de espinho. Não há como brincar sem se machucar. O ralo também está cheio. Vai chegar uma hora em que um alagamento poderá acontecer – cobra o pescador.

E a preocupação com a praça não é apenas com entretenimento. A descarregadora de peixes Sabrina Morgana, 22, presenciou uma criança se acidentar.

– Um menino rasgou a mão na baliza da trave da quadra. Precisou ir para o Hospital do Jardim Esperança para tomar uma antitetânica. Foi uma correria. Ele estava com a mão sangrado muito. As traves estão todas enferrujadas. Portanto, como coisas desse tipo acontecem na praça da comunidade, temos que levar as crianças em outros bairros. Normalmente elas vão para a Praça da Bandeira, na Passagem – conta a descarregadora.

(*) A matéria na íntegra está na edição impressa desta quarta-feira da Folha dos Lagos.