Assine Já
segunda, 06 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
21ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53752 Óbitos: 2196
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6589 73
Arraial do Cabo 1755 93
Cabo Frio 15618 902
Iguaba Grande 5581 147
São Pedro da Aldeia 7054 290
Saquarema 4655 243
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Defeso Total da Lagoa de Araruama terá integração das guardas

Termo de cooperação foi assinado entre cinco municípios para realização de operações conjuntas

02 agosto 2019 - 08h55
Defeso Total da Lagoa de Araruama terá integração das guardas

As guardas ambientais de Cabo Frio, Arraial do Cabo, São Pedro da Aldeia, Araruama e Iguaba Grande irão atuar de forma integrada na fiscalização do defeso da Lagoa de Araruama neste ano. O período de proibição da pesca no ecossistema começou ontem e vai até o dia 31 de outubro. Esta é a primeira vez que as cinco cidades assinam um termo de cooperação para a fiscalização conjunta do defeso.

A assinatura do termo de cooperação também possibilitou a doação de materiais de apoio à fiscalização, por parte do Consórcio Ambiental Lagos São João. O Consórcio captou uma verba de R$ 71 mil junto ao Fundo de Recursos Hídricos (Fundrhi), do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), após solicitação do Comitê de Bacia Hidrográfica. Com este valor, serão doados combustível, alimentação e material de trabalho para as equipes de fiscalização das prefeituras.

Além das guardas ambientais, a Unidade de Policiamento Ambiental (Upam) também fica responsável pela fiscalização sobre o cumprimento das regras do defeso. 

– Temos certeza de que o defeso será um sucesso e que a lagoa terá esse período para que as espécies possam se reproduzir de forma adequada. Contamos com o apoio das prefeituras e a colaboração dos pescadores – afirma a secretária executiva do Consórcio Lagos São João, Adriana Saad.
Pescadores, agentes das guardas ambientais das cinco cidades no entorno da lagoa de Araruama e também da Unidade de Policiamento Ambiental (Upam) se reuniram anteontem para tratar da abertura do defeso. A reunião foi no Departamento de Pesca de São Pedro da Aldeia, na Ponta da Areia.

Também foram prestadas informações aos pescadores sobre a proposta de separação do defeso da Lagoa de Araruama em duas partes, sendo um período exclusivo para o defeso do camarão e outro para as demais espécies.

– Estamos todos neste objetivo comum, que é a separação do defeso em duas partes. Isso é o ideal e nós já fizemos a solicitação ao Ministério do Meio Ambiente. Sem dúvida é uma medida que vai beneficiar o pescador  – afirmou o  presidente da Câmara Técnica de Pesca do Comitê de Bacia, Francisco Guimarães (Chico Pescador).

A proposta de mudança no defeso surgiu no ano passado. Na ocasião, foi cogitada a possibilidade de exclusão do defeso do camarão, mantendo a proibição para as demais espécies, e tendo como contrapartida uma mudança no tipo de pesca do camarão. 

No entanto, após reuniões do Comitê de Bacia, a proposta enviada foi pela separação do defeso em dois períodos.

Desde que o defeso da Lagoa de Araruama começou a ser feito, há seis anos, os pescadores de camarão se queixam do período em que ocorre a proibição total da pesca. Nos meses de agosto, setembro e outubro, o camarão está em plena safra, com tamanho bom para ser consumido.

– Não vale a pena receber um salário mínimo para deixar de pescar camarão nesta época. Nos melhores meses o pescador tira de R$ 80 a R$ 100 por dia de trabalho. Fora o dono da embarcação, que tira o dobro. Precisamos que o defeso acabe ou mude de data – diz o pescador Jacy Ramalho Filho, que mora na Praia do Siqueira, em Cabo Frio.

– Do jeito que está são praticamente seis meses de defeso, porque em abril, maio e junho, o camarão está pequeno, e agora, quando cresce, é proibido pescar – completa o presidente da Colônia de Pescadores Z-4, Alexandre Marques.

Cobrança por dragagem da lagoa

A equipe do Consórcio Intermunicipal Lagos São João se reuniu neste mês com o prefeito de São Pedro da Aldeia, Cláudio Chumbinho, e com o deputado estadual Serginho Azevedo, para tratar da dragagem da Lagoa de Araruama.

Na reunião, membros do Consórcio e do Comitê de Bacia Hidrográfica foram informados que o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) deu início ao processo de licitação para a contratação de empresa que irá realizar a dragagem dos pontos assoreados.

– Nossa pauta principal foi pedir a aceleração do processo para o início da dragagem da lagoa. Fomos informados que a licitação teve início, o que é uma ótima notícia, pois a lagoa está precisando deste processo de desassoreamento – disse a secretária-executiva do Consórcio, Adriana Saad.

O desassoreamento da lagoa tem o objetivo de promover um fluxo maior de troca de águas com o mar. A existência de pontos assoreados, ou seja, com grande voluma de areia e outros materiais, impede a renovação da água da lagoa e prejudica o equilíbrio ambiental.