Assine Já
domingo, 13 de junho de 2021
Região dos Lagos
21ºmax
17ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 42533 Óbitos: 1631
Confirmados Óbitos
Araruama 10478 329
Armação dos Búzios 5144 57
Arraial do Cabo 1486 81
Cabo Frio 11320 600
Iguaba Grande 4350 105
São Pedro da Aldeia 5809 254
Saquarema 3946 205
Últimas notícias sobre a COVID-19
Seguro

Defeso do caranguejo-uçá e guaiamum tem início no sudeste e sul do Brasil

Pescadores cadastrados terão direito ao seguro-defeso

05 outubro 2015 - 13h37

O defeso do caranguejo-uçá e do guaiamum teve início na última quinta-feira (1) em todo o sudeste e sul do Brasil. O tempo de preservação das espécies tem datas distintas. A captura de machos e fêmeas do caranguejo-uçá fica proibida até o dia 30 de novembro, e só de fêmeas até o dia 31 de dezembro, nas regiões sudeste e sul. Já no caso do guaiamum, tem a “cata” interrompida até 31 de março de 2016, apenas na região sudeste.

O período é importante para a reprodução e crescimento das espécies. A proibição também engloba a comercialização, a manutenção em cativeiro, o transporte, a industrialização, o armazenamento e o beneficiamento do crustáceo.

Seguro-defeso – Pescadores profissionais que dependem da captura e são devidamente cadastrados no Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), terão direito ao seguro-desemprego no valor de um salário mínimo (atuais R$ 788) por mês, durante a paralisação. Para tanto, o trabalhador deve possuir o Registro Geral da Atividade Pesqueira (o RPG) do Ministério; estar inscrito como segurado especial no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); e comprovar o pagamento da contribuição (sobre a comercialização do pescado) durante os últimos 12 meses (caso seja o primeiro pedido) ou no intervalo entre os defesos (para quem já recebeu o seguro).