Assine Já
sábado, 06 de março de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
23ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 27180 Óbitos: 935
Confirmados Óbitos
Araruama 6957 183
Armação dos Búzios 3258 33
Arraial do Cabo 865 38
Cabo Frio 7501 359
Iguaba Grande 2573 58
São Pedro da Aldeia 3575 130
Saquarema 2451 134
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Defesa Civil interdita imóveis na Vila Nova

Num deles, todo o quarto andar precisou ser demolido após parte da estrutura desabar sobre uma casa vizinha

27 fevereiro 2019 - 09h31
Defesa Civil interdita imóveis na Vila Nova

A Defesa Civil Municipal de Cabo Frio interditou, na noite desta terça-feira (26), parte de uma casa de aluguel para temporada, localizada na Rua Mário Quintanilha, no bairro Vila Nova, após parte de um muro, em construção no quarto andar, desabar sobre o telhado de uma residência vizinha, que também precisou ser interditada por questões de segurança. A estrutura, segundo o proprietário, Fábio Lemos Abrantes, seria para abrigar três caixas d’água. A obra não estava legalizada.

“A equipe foi acionada às 16h20 com a informação de que a parede de um imóvel havia cedido. Ao verificar a ocorrência, constatamos que se tratava de uma obra irregular. O acesso ao quarto andar era feito por um pequeno buraco no teto de um dos quartos. Todas as paredes do muro estavam comprometidas e corriam o risco de desabar, por isso foram demolidas, inclusive as vigas”, explicou o superintendente da Defesa Civil, Josué Velloso. O proprietário acompanhou todo o trabalho.

O  imóvel atingido, e que também foi interditado, pertence à artesã Neusa Maria Cardoso. A casa, que fica no segundo andar e conta com cinco cômodos, teve os telhados da sala e do quarto atingidos. Ela explicou que o irmão dela, que mora na residência, estava em casa na hora do ocorrido, mas que por ter problemas mentais, não avisou a ninguém. “Um vizinho do prédio ao lado que viu o telhado quebrado e informou do perigo que meu irmão estava correndo. Foi então que eu acionei a Prefeitura”, explicou.

Além da Defesa Civil, também participaram da ação de vistoria e demolição da estrutura, fiscais da Coordenadoria de Assuntos Fundiários, da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade; agentes da Divisão de Fiscalização de Obras Particulares (DIFOP), da Secretaria de Obras; e homens da Polícia Militar.

Horas antes, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) fez uma operação conjunta  com a Coordenadoria de Planejamento de Cabo Frio para fiscalizar as casas de aluguel no bairro. Imóveis foram interditados, mas não houve confirmação da quantidade.  

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio disse que a ação de ontem é de ‘inteira responsabilidade’ do Ministério Público Estadual e que foi notificada pelo órgão para participar. 

Ainda segundo o governo municipal, a ação é assinada pela Coordenadoria Geral de Planejamento porque “somente os fiscais da Cogepla têm competência legal para agir”. Até o fechamento dessa edição, o Ministério Público não havia respondido aos questionamentos da reportagem.

Em matéria publicada no último dia 22, a Associação dos Arquitetos e Engenheiros da Região dos Lagos (Asaerla) alertou sobre as condições de segurança destes imóveis, após o incêndio que matou dez adolescentes das divisões de base do Flamengo, no CT do clube, em Vargem Grande.