Assine Já
sexta, 14 de maio de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
http://www.alerj.rj.gov.br/
http://www.alerj.rj.gov.br/
TEMPO REAL Confirmados: 38176 Óbitos: 1459
Confirmados Óbitos
Araruama 9632 300
Armação dos Búzios 4701 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10146 538
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5306 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
FIM DA NOVELA?

Decisão do Tribunal de Justiça confirma que bairro Maria Joaquina pertence a Cabo Frio

Desembargadores acolhem tese de que lei que incorporava área a Búzios é inconstitucional

01 outubro 2020 - 19h18Por Rodrigo Branco

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) acaba de anular a divisão feita pela lei estadual nº 7.880/2018 que alterou o limite entre Cabo Frio e Armação dos Búzios. Desta forma, o bairro Maria Joaquina foi definitivamente confirmado como parte do município cabo-friense. A decisão unânime dos desembargadores do Órgão Especial do TJ-RJ foi por unanimidade na última segunda-feira (28). 

O colegiado acolheu a representação de inconstitucionalidade feita por Cabo Frio, com base no artigo nº 357 da Constituição Estadual, segundo o qual, a criação; a incorporação; a fusão e o desmembramento de municípios deverão ser feitos por meio de lei complementar federal que fixe o período da mudança territorial. Além disso, a legislação prevê que deve haver consulta popular, por meio de plebiscito, para que ocorra qualquer alteração desta natureza. 

No relatório do desembargador Werson Rêgo, o magistrado também argumenta que a mudança no marco geográfico, “sem a menor margem para dúvidas, acarreta sensíveis prejuízos para as comunidades afetadas, pouco importando a extensão da mudança”. Em dezembro do ano passado, Cabo Frio já havia conseguido a posse sobre Maria Joaquina por força de uma liminar.

Ao longo do processo, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) contestou a competência do TJ-RJ para analisar a constitucionalidade de tema estadual, à luz da Constituição Federal. Por sua vez, a Procuradoria Geral do Estado e o Ministério Público Estadual já haviam se manifestado favoravelmente ao pedido feito por Cabo Frio.

A decisão põe fim, ao menos por ora, em uma briga que dura mais de dois anos e tem como pano de fundo a disputa pelos royalties e pelos outros recursos referentes ao bairro, que possui 13 mil moradores. A Prefeitura de Búzios analisará o que fazer após a decisão da Justiça.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.