Assine Já
segunda, 26 de outubro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9419 Óbitos: 486
Confirmados Óbitos
Araruama 1914 111
Armação dos Búzios 582 10
Arraial do Cabo 298 15
Cabo Frio 3084 168
Iguaba Grande 826 38
São Pedro da Aldeia 1456 71
Saquarema 1259 73
Últimas notícias sobre a COVID-19
lindbergh

Crivella garante candidatura ao Governo do Estado

Rumores davam conta de composição como vice de Lindbergh

25 junho 2014 - 18h24Por Rodrigo Branco
Crivella garante candidatura ao Governo do Estado

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) garantiu que manterá sua candidatura ao Governo do Estado. A afirmação é por conta dos rumores sobre uma possível desistência a fim de uma eventual composição como vice, na chapa do também senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

Segundo sua assessoria, a convenção estadual do partido, que acontecerá neste domingo, no Olaria Atlético Clube, no Rio, confirmará não apenas sua permanência na corrida rumo ao Palácio Guanabara, como a aliança com outros três partidos nanicos: PEN, PRTB e Pátria Livre. A estratégia visa a assegurar ao bispo licenciado da Igreja Universal mais tempo de televisão no horário eleitoral gratuito, que começará a partir do próximo dia 6 de julho. Isolado, ele teria direito  a pouco menos de um minuto de propaganda.

Esse é o principal argumento da corrente que defende a saída de Crivella da disputa. Entre os partidários da tese, um padrinho de peso: o ex-presidente Lula, que teria pedido pessoalmente ao senador que desistisse da candidatura. No entanto, em nota na sua página oficial, ele rechaçou a possibilidade.

– Nesse lamentável quadro pré-eleitoral do Rio de Janeiro, nenhum homem público com o mínimo de responsabilidade pode se furtar do dever de tentar construir um Rio de Janeiro melhor. Eu sou candidato – declarou.

Quadro – O comentário se refere ao cenário de polarização que  se desenhou no estado nas últimas semanas. De um lado, uma coalização dos partidos de esquerda, em torno do nome de Lindberg, encabeçada pelo PT e  que também conta com PC do B, PV, setores descontentes do PDT e mais recentemente o PSB, do candidato ao Senado, Romário.

Do outro, o chamado bloco “Aezão”, que inclui PMDB, PSDB e DEM. Pelo acordo, no Rio, a chapa pedirá votos ao senador tucano Aécio Neves, para presidência; ao governador peemedebista Luiz Fernando Pezão para sua reeleição e ao vereador democrata, o ex-prefeito do Rio César Maia, para o Senado.Aliado de primeira hora da presidente Dilma Rousseff, de quem foi ministro da Pesca, Crivella seria apenas uma das quatro opções de palanque da petista.

Na última pesquisa, realizada pelo Ibope e divulgada pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) no último dia 17, Crivella aparece em segundo lugar, com 16% das intenções de voto, tecnicamente empatado com o deputado federal Anthony Garotinho (PR), que aparece na liderança com 18% e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), em terceiro com 13%. Lindberg vem a seguir com 11% da preferência dos entrevistados. Já o professor Tarcísio Motta, do Psol, foi a resposta de 1% das pessoas consultadas.