Assine Já
quarta, 20 de outubro de 2021
Região dos Lagos
18ºmax
14ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
ECONOMIA

Crise mundial do petróleo deixa municípios da região em alerta

Derrubada no preço do barril pode resultar em queda nos repasses dos royalties

10 março 2020 - 14h15Por Rodrigo Branco

O terremoto foi em escala global, mas os abalos sísmicos poderão ser sentidos por aqui por algum tempo. A redução no preço do barril de petróleo registrada nesta segunda-feira (9), a maior em quase 30 anos  ocorreu por conta de uma disputa no mercado internacional, agravado pelo avanço do coronavírus (Covid-19). 

O professor e administrador Leandro Cunha afirmou que há um choque de oferta aliado a um enfraquecimento da demanda, por causa da China (epicentro do Covid-19). Por esses motivos, ele não arrisca dizer quanto tempom a crise vai durar, mas afirma que os preços atuais, no mercado, já estão no nível da guerra do Golfo, na década de 90.

– Os municípios podem ser prejudicados sim, devido ao valor do barril.
O que pode amenizar o impacto do preço do barril, é a alta do dólar. Mas é muito provável que tenhamos impactos porque pode haver uma combinação de fatores como preço do barril e nível de produção, que podem não ser compensados na mesma proporção pela alta do dólar. Isso pode impactar na arrecadação dos royalties – afirmou o colunista da Folha.

O professor Carlos Barateiro, da Universidade Estácio de Sá de Macaé, disse que a redução já vinha do começo do ano em função do temor pelo avanço da doença respiratória. Contudo, a redução dos preços para competir com o gás de xisto produzido pelos Estados Unidos acentuou o problema, que teve reflexos no mercado financeiro e na Petrobras, que teve queda de 30% no valor de suas ações.

O coordenador dos cursos de Engenharia Civil, Mecânica e Química da faculdade macaense afirmou ainda que a redução das atividades econômicas por causa do medo de uma pandemia global vai definir quanto tempo o preço do petróleo ficará baixo e as consequências para quem depende desses fatores.

– Obviamente para a região dos Lagos essa impacto virá com a redução dos royalties e as participações especiais. Recentemente a ANP divulgou as projeções dos royalties e participações especiais para a região: Especificamente para Cabo Frio há uma previsão de cerca de R$ 173 milhões de royalties e R$ 27 milhões para Participações Especiais em 2020 mas isso considerando o petróleo Brent (US$) a $ 60 e o dólar a R$ 4,05 e estamos agora a $ 45 com cambio a R$ 4,73. Temos duas variáveis que estão sofrendo mudanças grandes em curto prazo de tempo e em direções opostas – assim o impacto nas finanças vai depender de quanto tempo ficarão nesses patamares – explica.

O prefeito de Arraial do Cabo, Renatinho Vianna, acompanha a situação com apreensão.

– São coisas que fogem ao planejamento. A gente tinha uma perspectiva, com subida gradativa, superação da crise, desde aquela questão da Lava Jato, que interfeirou diretamente. Estamos preocupados, mas como é nossa bandeira, sempre pautado em otimismo – comentou.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.