domingo, 03 de março de 2024
domingo, 03 de março de 2024
Cabo Frio
23°C
Park Lagos mobile
Geral

Creche em Cabo Frio tem aulas interrompidas por problema na eletricidade

Secretaria de Educação marcou reunião para tratar do assunto e anunciar providências

06 abril 2019 - 10h44
Creche em Cabo Frio tem aulas interrompidas por problema na eletricidade

TOMÁS BAGGIO

Problemas na rede elétrica fazem com que a Creche Escola Parque Eldorado, em Cabo Frio, esteja sem aulas há uma semana. A unidade, que tem 131 alunos matriculados, teve as atividades escolares interrompidas após um cheiro forte na fiação ter sido sentido por dois dias consecutivos. A Secretaria de Educação marcou uma reunião na próxima segundafeira para tratar do assunto e anunciar providências. A situação da creche foi tema de uma postagem feita por Kamylla Alves, mãe de um menino de 2 anos matriculado na creche, em uma rede social. Na postagem ela chama a situação de “alarmante”, diz que “os alunos estão sem aula desde o dia 29/03” e que “todo o sistema elétrico da escola está comprometido e com risco de incêndio”.

Kamylla foi procurada ontem pela reportagem da Folha e confirmou a situação.

– Nos dias 27 e 28 as crianças tiveram que ser tiradas das salas porque havia muito cheiro de queimado e o poste da fiação elétrica da escola estava superaquecido. Os pais dessas crianças tiveram essa notícia horrorosa, que seus filhos podiam ter sofrido um acidente grave. E estão implorando para que a Secretária de Educação tome uma providência. A diretora se recusa a abrir a escola para aulas e por as crianças novamente em risco de vida. Enquanto isso essas crianças ficam sem aula e seus pais sem ter onde deixá-las, pois muitos deles trabalham –relatou Kamylla na publicação.

Por meio de nota, a Secretaria de Educação de Cabo Frio disse que agendou uma reunião com a direção da Creche Escola Municipal Parque Eldorado nesta segunda-feira (8) para tratar dos temas apresentados. Disse também que será convocada uma reunião com a comunidade escolar para definir a melhor alternativa.

– As aulas foram interrompidas por decisão da direção da escola e na reunião de segunda teremos uma solução definitiva. A Secretaria entende que a decisão da direção foi acertada, mediante o possível risco. As demais avaliações estão sendo feitas pela área estrutural da Secretaria – diz a nota.

A Creche Escola Municipal Parque Eldorado, localizada à Rua Francisco Al- ves, nº06, Parque Eldorado, atualmente atende 131 alunos nos dois turnos do segmento Educação Infantil. São oito turmas divididas entre creche III (2 anos), creche IV (3 anos), pré I (4 anos) e pré II (5 anos). A unidade escolar conta com  equipe de 42 funcionários. Possui dois pátios, sendo um descoberto e outro coberto com parquinho para atividades.

Segunda creche com problemas

Ontem a Folha noticiou a situação da Creche Municipal Neusa Agualusa, no bairro Tangará. O relato foi enviado ontem Vanderson Lopes, pai de uma menina de 2 anos matriculada na unidade de ensino. O principal problema é uma falha estrutural no telhado do pátio, que precisou ter as telhas retiradas e que, atualmente, tem parte da estrutura sustentada por escoras metálicas, como deverá ficar até a realização de obras. Vanderson também cita falta de ventiladores, reclama da ligação de energia elétrica e afirma que os pais irão fazer uma rifa para comprar tatames para as crianças poderem se sentar com mais conforto.

– O telhado do pátio foi removido e está com uma escora. A estrutura está com rachaduras, é um perigo de cair nas crianças porque elas passam por ali para entrar e sair. Além disso não tem ventilador nas salas, quando chove entra água e não tem tatame para as crianças ficarem a vontade. Nós, pais, estamos fazendo uma rifa para comprar alguns tatames para as crianças não ficarem no chão – disse Vanderson.

A Escola Municipal de Educação Infantil Neusa Agualusa fica na Rua Nelson Mandela. Atualmente atende em horário integral a 77 alunos do segmento Educação Infantil, sendo a Creche II composta de crianças de 1 ano até 1 ano e 11 meses; e Creche III de 2 anos até 2 anos e 11 meses. Possui pátio coberto, que atualmente está sem partes do telhado, mas não dispõe de quadra esportiva. A equipe é composta por 13 profissionais de educação.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação, “depois de uma visita técnica à escola, para análise dos possíveis riscos, o setor de engenharia observou problemas na viga de madeira que faz a sustentação do telhado”. A Secretaria de Educação disse ainda que “foram retiradas as telhas para di- minuir o peso e impacto na estrutura, além de colocação de escoras metálicas para sustentação”, e garantiu que “está em andamento um processo licitatório para recuperação da estrutura do telhado e que a situação estrutural da escola vem sido constantemente monitorada pelos técnicos”. Não foram informados o custo estimado para a obra e o prazo previsto para conclusão. Sobre a fonte de energia, a Secretaria de Educação informou que a creche tem a rede elétrica compartilhada com a Escola Municipal Loemari Garcia Barreto. “A situação é um problema anterior à gestão atual e a Secretaria informa que já pediu à empresa responsável a instalação de um quadro de energia separado para a unidade”, diz a nota.

Sobre a falta de ventiladores, a Secretaria de Educação informou ter assinado um contrato com a empresa fornecedora, e que a distribuição para as unidades de ensino com necessidade de receber os equipamentos será feita a partir da segunda-feira (8). Informou ainda que o processo licitatório para a aquisição dos ventiladores foi aberto em setembro de 2018.

Prefeito vai unificar Plano de Cargos da Educação O prefeito de Cabo Frio, Adriano Moreno, assumiu o compromisso formal de colocar todos os servidores da Educação regidos sob o mesmo Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR). Trata-se de uma reivindicação da categoria. Atualmente, apenas parte dos funcionários da Educação é contemplada com o plano específico da categoria, aprovado em 2012. Os demais estão alocados no plano dos outros servidores da administração municipal, do mesmo ano. Com a decisão do prefeito, todos os profissionais docentes e não-docentes ficarão sob o mesmo regime de direitos e de progressões na carreira. Para isso, o governo agora vai enviar um projeto de lei para a Câmara Municipal para pedir a alteração do PCCR da Educação, com a inclusão dos servidores que estão de fora no momento.

“A gente entende que fortalecendo o funcionalismo, a gente fortalece a própria cidade. Estamos sem- pre abertos ao diálogo com todas as categorias, mostrando a nossa boa vontade de honrar todos os compromissos, buscando sempre chegar a um denominador comum. Os representantes das categorias têm sido solícitos e entendido as nossas dificuldades”, disse o prefeito Adriano.